Logo Observador
Eleições Legislativas

Macron com “grande probabilidade” de maioria absoluta nas legislativas

O presidente francês Emmanuel Macron, reúne 31% das intenções de voto nas legislativas de junho, o que representa "grandes probabilidades" de obter a maioria absoluta.

O estudo mostra uma subida de nove pontos percentuais das intenções de voto relativamente à sondagem anterior

PHILIPPE WOJAZER/ POOL/EPA

Autor
  • Agência Lusa

O movimento Em Marche!, do presidente francês Emmanuel Macron, reúne 31% das intenções de voto nas legislativas de junho, o que representa “grandes probabilidades” de obter a maioria absoluta, segundo uma sondagem publicada esta quarta-feira.

O estudo, realizado pelo instituto Ifop a 18 e 19 de maio, mostra uma subida de nove pontos percentuais das intenções de voto em Macron relativamente à sondagem anterior, realizada a 4 e 5 de maio.

Em segundo lugar surgem Os Republicanos (direita), com 19%, seguidos da Frente Nacional (extrema-direita), com 18%, da França Insubmissa (Esquerda), 15%, e do Partido Socialista, 7%. O estudo não avança estimativas sobre a distribuição dos 577 assentos da Assembleia Nacional, cuja maioria absoluta é de 290 lugares. O sistema eleitoral em França é organizado em duas voltas. Na primeira volta passam os dois candidatos mais votados em cada círculo eleitoral e na segunda volta só um é eleito. Daí que os 19% da FN, por exemplo, podem traduzir-se num número muito pequeno de deputados, que é o que tem acontecido nas eleições legislativas anteriores.

Na análise dos resultados, o instituto de sondagens explica que o movimento de Macron deverá receber nas legislativas o apoio de 12% dos eleitores que na primeira volta das presidenciais (23 de abril) votaram em Jean-Luc Mélenchon (França Insubmissa), 18% dos que votaram François Fillon (Os Republicanos) e 28% dos que votaram Benoît Hamon (Partido Socialista).

Emmanuel Macron, centrista, foi eleito na segunda volta das presidenciais, a 7 de maio, com 66,1% dos votos, derrotando a candidata da extrema-direita, Marine Le Pen, que obteve 33,9%.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Minorias

O machismo militante da histeria anti xenofobia

Maria João Marques

Os que gritam xenofobia perante a mais leve crítica a certas comunidades onde os maus tratos a mulheres são inerentes à cultura que tanto defendem, fizeram a sua escolha: apoiar a opressão de mulheres