Prejuízos de 133 milhões de euros acumulados nos três anos terminados em setembro de 2013 são o principal fundamento para a decisão do BBVA de abandonar a atividade em Portugal. A informação foi adiantada hoje pelo jornal espanhol “El País”, a publicação adianta que as operações da instituição espanhola vão ser colocadas à venda, mas, oficialmente, o banco anda não fez qualquer comentário.

Com esta decisão, o BBVA, que se estabeleceu no mercado português em 1991, junta-se ao Barclays, que também anunciou a opção de deixar de operar no território nacional. O banco britânico tem 150 balcões em Portugal e a retirada faz parte de um plano de reestruturação a nível global.

O BBVA dispõe, actualmente, 83 balcões em Portugal, depois de ter chegado a deter perto de 150. O crescimento foi operado através da aquisição de outras entidades financeiras, como o Lloyds Bank, o Crédit Lyonnais, a Midas e a divisão de crédito ao consumo do Banco Efisa. Mas os responsáveis do banco espanhol nunca conseguiram concretizar a intenção de adquirir uma instituição financeira de maior dimensão, que abriria as portas à conquista de uma posição entre as instituições com maior peso no país.