Rádio Observador

Michael Schumacher

Michael Schumacher acorda do coma, deixa Grenoble e começa processo de reabilitação em Lausanne

373

Antigo campeão de Fórmula 1 terá acordado do coma e já deixou o hospital em Grenoble onde estava desde o acidente de ski. Reabilitação acontecerá agora "longe dos olhos do público".

Mark Thompson

Autor
  • Catarina Falcão

Michael Schumacher, que acordou do coma e saiu do hospital em Grenoble onde estava internado desde dezembro, foi transferido para o Centro Hospitalar Universitário de Vaud, perto de Lausanne na Suíça. Quem avançou a informação foi a direção deste hospital, tendo a família pedido já “compreensão” e dizendo que a reabilitação de Schumacher vai agora acontecer “longe dos olhos do público”.

A porta-voz de Michael Schumacher disse esta manhã que o piloto de Fórmula 1 acordou do coma e deixou o hospital onde estava internado desde o acidente de ski em dezembro. Sabe-se agora que o campeão de Fórmula 1 foi transferido para o Centro Hospitalar Universitário de Vaud, perto de Lausanne na Suíça para começar a sua reabilitação. Desta forma, Schumacher fica mais perto da sua família que vive em Gland, uma pequena cidade perto de Genebra.

Apesar da transferência do campeão de automobilismo ter sido avançada durante o fim de semana, a confirmação chegou esta segunda-feira através de um comunicado da família agradecendo não só à equipa médica do hospital, mas também a todos os fãs. Michael Schumacher, que estava internado desde 29 de dezembro do ano passado na sequência de um acidente de ski que o deixou em coma, abandonou esta segunda feira o hospital de Grenoble. Segundo a agente e a porta-voz do campeão de Fórmula 1, Schumacher acordou do coma e vai agora começar um período “longo de reabilitação” onde fará tratamentos para tentar recuperar das lesões que sofreu.

Apesar de o comunicado não ter avançado para onde é que Schumacher foi levado nem qual o seu atual estado de saúde, segundo o jornal Le Soir, o Centro Hospitalar Univrsitário de Vaud veio anunciar que o piloto iniciará a reabilitação nas suas instalações. O porta-voz da instituição disse que não haverá “quaisquer declarações suplementares” já que o estado de saúde do piloto e a sua reabilitação estão protegidos pelo sigilo médico e pertence apenas à esfera privada da família.

Em Abril, data da última atualização do estado do automobilista, a família fez saber que ele tinha alguns momentos de consciência. O Bild, jornal alemão, já escreveu que o automobilista consegue reconhecer vozes e comunica com os filhos e com a mulher.

Os fãs de Schumacher têm acusado a família de esconder o estado de saúde do piloto e não avançarem quaisquer detalhes sobre a sua recuperação. Boris Becker, tenista alemão, já veio publicamente defender a família do piloto de automóveis dizendo que tanto a mulher como os filhos do campeão têm “construído uma barreira protetora” à volta dele. “É um ambiente muito sossegado, mas talvez seja essa a única maneira de o ajudar a curar-se”, apontou ao canal alemão RTL.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)