Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Morreu na última semana o duplo britânico Terry Richards, um nome muito provavelmente desconhecido da grande maioria dos espectadores de cinema mas que contracenou em alguns dos mais icónicos filmes do século XX. A mais famosa cena de Richards é aquela de Os Salteadores da Arca Perdida (1981) em que representou um egípcio pronto para uma luta de espadas com Indiana Jones – que, em vez da espada, prefere simplesmente dar-lhe um tiro.

É esta a famosa cena do primeiro filme da saga Indiana Jones

Apesar de memorável, essa cena deixou Terry Richards desapontado. Tinha passado muito tempo “a treinar e a treinar” o manejo de espadas e depois não o deixaram exibir as suas capacidades. Tudo porque Harrison Ford estava doente, com uma disenteria. “Eu não estava capaz de ficar fora do meu camarim por mais do que o tempo necessário para gravar uma bobine de filme, que eram dez minutos”, daí ter sido cancelada a previamente planeada cena de luta de espadas, recorda o ator, presentemente a trabalhar no sétimo filme da série Star Wars.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Richards voltaria a cruzar-se com Ford em Indiana Jones e a Grande Cruzada (1989), depois de também já ter entrado em O Império Contra-ataca, de 1980. Aliás, o duplo contracenou com os maiores heróis do cinema blockbuster. “Lutou com o Indiana Jones, James Bond, Luke Skywalker e Rambo – não há muita gente que possa dizer isso”, comentou o filho, Terry Richards Junior. Da saga 007, participou mesmo em nove filmes – incluindo o não-oficial Casino Royale de 1967 – e conheceu quatro Bonds diferentes. Os últimos 007 em que entrou foram O Amanhã Nunca Morre (1997) e O Mundo Não Chega (1999), em que tinha cenas de ação com Pierce Brosnan.

Nascido em 1932, David Terrence Richards (Terry para os amigos) entrou em mais de 100 filmes, entre os quais se contam Desafio Total (1990, com Arnold Schwarzenegger), Doze Indomáveis Patifes (1967), O Desafio das Águias (1968), Robin Hood: O Príncipe dos Ladrões (1991, com Kevin Costner) e Os Vikings (1958), filme com que se iniciou na indústria, logo ao lado de Kirk Douglas. Foi por ser sargento nas Welsh Guards que chegou ao cinema, porque na altura havia produções a precisar de pessoas com formação militar.

Numa entrevista dada em 2012, Terry Richards falou sobre a sua carreira e os desenvolvimentos da indústria dos duplos. “Agora é tudo CGI [imagens geradas ou manipuladas em computador]. Depois de um dia a ser duplo, quando eu o era, sabíamos realmente que tínhamos trabalhado, ficava cheio de cicatrizes”, disse.

Richards morreu aos 81 anos e deixa dois filhos.