Pelo menos 26 mil polícias e soldados foram destacados para garantir a segurança na final do Mundial de futebol – entre a Argentina e a Alemanha -, informou, na passada quinta-feira, o ministro da Justiça brasileiro.

Após uma reunião com a FIFA e o governo federal do Rio de Janeiro, José Eduardo Cardozo disse que o contingente não foi aumentado, apesar da esperada ‘invasão’ dos adeptos argentinos.

A final do Mundial 2014 de futebol, que está marcada para o próximo domingo, no Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, vai contar com a presença de pelo menos dez chefes de Estado.