O NOS Alive 2014 já lá vai. Os responsáveis já fizeram contas à edição deste ano e anunciaram novidades para 2015. Álvaro Covões, diretor da Everything is New, faz um balanço “muito positivo” do festival. De acordo com os números da organização, passaram, no total, 150 mil pessoas pelo Passeio Marítimo de Algés. Para além dos jornalistas portugueses, estiveram 40 jornalistas estrangeiros a cobrir o evento, “a maioria jornalistas franceses”, aponta Álvaro Covões. Em 2015, há mais Alive a 9 (quinta), 10 (sexta) e 11 (sábado) de julho.

O responsável frisou também a colaboração dos patrocinadores do festival. Entre eles, está a marca de cerveja Heineken que, aliás, deu o nome a um dos palcos. “As pessoas bebem com cada vez mais responsabilidade”, diz Álvaro Covões. A cerveja é a bebida eleita pelos festivaleiros e os pontos de venda estão por todo o lado.

photo (1)

Miguel Touzet, 20 anos, leva a bebida às pessoas, sem que estas tenham de se deslocar às filas intermináveis que se verificavam nos stands da marca. É a terceira vez que trabalha num festival. Antes, passou pelo Rock in Rio e pelo EDP Cool Jazz. Está a ganhar dinheiro para poder ir de férias com os amigos. O destino é a costa alentejana e o algarve.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Até lá, tem de aguentar 20 quilos às costas, que renova “normalmente em 50 minutos”, mas, nos dias mais cheios, “esgota-se em meia hora”. A parte boa deste trabalho é que lhe permite “ver os concertos também”, mas há sempre quem refile do nível da cerveja. “As pessoas queixam-se porque querem o copo mais cheio, mas nós só podemos encher até aos 25 cl”.

Miguel começava a trabalhar às 18h/19h e trabalhava até as duas da manhã. O corpo ressentiu-se de três dias de Alive. “Hoje (sábado) até tive de ir ali fazer uma massagem na Well’s (uma das marcas que teve um stand no festival)”. Para o ano há mais.