A fotografia do pequeno-almoço de Ryan Lochte está a percorrer o mundo a uma velocidade alucinante, talvez mais rápido até que o próprio consegue nadar os 50 metros da piscina olímpica. A mensagem é, contudo, enigmática: “Em preparação para as minhas dez mil calorias. Vejamos a vossa melhor pose.” Muitos têm sugerido que a primeira refeição do atleta engloba essa quantidade de calorias, mas parece difícil…

Mais ainda se compararmos com os hábitos alimentares de Michael Phelps no pináculo da carreira. A lenda da natação que venceu 22 medalhas olímpicas — 18 delas de ouro — ingeria qualquer coisa como 10/12 mil calorias por dia. Se está esfomeado, desvie o olhar das próximas linhas, sim?

Em 2008, Phelps tinha um senhor pequeno-almoço pelas manhãs: três sandes com ovos estrelados carregadas com queijo, alface, tomate, cebola frita e maionese; duas taças de café; uma omelete (cinco ovos); uma taça de cereais; três torradas com açúcar em pó; e três panquecas de chocolate. Uma coisa é certa: o rapaz não sofria de fastio…

Ao almoço, a cruzada continuava: um quilo de massa; duas sandes com fiambre e queijo com maionese; e bebidas energéticas. Ao jantar idem: um quilo de massa, uma pizza e mais bebidas energéticas.

Esta enormidade de comida levou até a que pessoas tentassem algo semelhante. O desafio era óbvio: comer tanto como Phelps. Se bem que o caso que mostrámos em baixo tenta algo impensável: fazê-lo numa só refeição (demorou 42 minutos). Aviso: não fazer isto em casa, nem em lado nenhum.

A explicação é fácil: Phelps podia gastar até 1000 calorias durante uma hora de treino, por isso tinha de compensar. É por isso que fica difícil de acreditar que aquele pequeno-almoço de Lochte tenha as tais dez mil calorias. O Observador contactou Nuno Borges, da Associação Portuguesa de Nutricionistas, para saber, afinal, do que falamos: “É impossível numa refeição! Mecanicamente não é plausível. Dez mil calorias, mesmo num dia inteiro, não é fácil…”

O comum dos mortais do género masculino deverá consumir uma média de 2500 calorias por dia. Um atleta profissional pode gastar até 7000 num treino, daí necessitar de ingerir muito mais.