Rumores, comunicados, Manchester United, milhões de euros e guerra entre o Sporting a Doyen Sports, um fundo de investimento. Tudo por causa de Marcos Rojo. “Foi um mal-entendido, estava de cabeça quente, não percebi o que estava a fazer”, admitiu o argentino, este domingo, ao falar à Sporting TV. O defesa, que estava impedido de treinar com a equipa principal do clube, garantiu que, na segunda-feira, já integrará os trabalhos orientados por Marco Silva, treinador dos leões.

Bruno de Carvalho, presidente do Sporting, recorde-se, anunciara a 12 de agosto que Marcos Rojo e Islam Slimani estavam “sob alçada disciplinar do clube” e impedidos de treinarem com a equipa. “Se perceberem como devem ser, se os fundos deixarem de agir como bichos papões, os agentes deixaram de ser sonsos…”, disse, na altura, o líder leonino, quando foi questionado sobre a duração do castigo.

Afinal, terminará esta segunda-feira. “Na última sexta-feira falei com ele [Bruno de Carvalho]. Já nos entendemos, já voltei a treinar na Academia. Separado, mas treinei. Amanhã já treinarei com a equipa principal, com os meus companheiros”, assegurou Rojo.

Falando sobre a recente polémica, acerca da sua eventual transferência para o Manchester United e da ‘guerra’ entre o clube e a Doyen Sports, o argentino disse: “Atuei mal, estava de cabeça quente. Gosto muito do clube, das pessoas e dos jogadores. O que será da minha carreira dependerá do Sporting, que seja algo positivo para eles e para mim.”

“O Sporting confiou em mim quando a minha carreira não estava no melhor momento. Deu-me possibilidade de jogar numa grande equipa da Europa. Agradeço ao Sporting e às pessoas que trabalham no clube”

Rojo quis também “deixar bem claro” que está “muito feliz no clube” e gosta “muito da forma como [o] tratam e do carinho que” lhe é transmitido no Sporting.

Quanto a um eventual confronto físico com Bruno de Carvalho, algo noticiado na passada semana pelo Correio da Manhã, o argentino acrescentou que ficou “irritado” com o que disse ser uma “mentira”. Por fim, o defesa central admitiu estar “um pouco arrependido” e que tentará “corrigir a situação”.