As autoridades venezuelanas detiveram um cidadão suspeito de violar as contas de utilizadores do Twitter e do Facebook para enviar ameaças à vida do Presidente Nicolás Maduro e altos funcionários do Governo venezuelano.

A detenção foi efetuada por funcionários do Serviço Bolivariano de Inteligência Nacional (serviços secretos) durante uma rusga a duas lojas de serviço público de internet, na localidade de El Recreo, a leste de Caracas.

Na rusga foram confiscados 41 computadores que, segundo as autoridades, teriam sido utilizados para “difundir mensagens não só contra o Presidente (Nicolás Maduro), mas também contra outros altos funcionários do Governo venezuelano e seus familiares”.

O detido foi colocado à ordem do Ministério Público e é acusado dos delitos de instigação para cometer delito, ultraje e delitos informáticos.