O presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, considerou neste domingo, em Bruxelas, que a escolha, pelos líderes dos 28, de um polaco para a presidência do Conselho Europeu tem “um grande significado”. “Acho que tem um grande significado, um significado que deve ser sublinhado, o facto de ter havido unanimidade quanto a um presidente do Conselho Europeu que vem da Polónia”, disse José Manuel Durão Barroso, no final de uma cimeira extraordinária.

“A Polónia é um país que aderiu à relativamente pouco tempo à União Europeia, é um país que tem mostrado a sua convicção europeia e, agora, vê um dos seus nacionais à frente do Conselho Europeu”, salientou. “Quem diria, digamos há 20 anos atrás, que era possível um polaco estar à frente do Conselho Europeu? Que mudanças importantíssimas se deram na Europa, que extraordinário facto este de a Europa ter este poder de atração”, considerou. Durão Barroso sublinhou ainda que a Europa está hoje “mais preparada do que esteve no passado para projetar a sua influência, os seus interesses e os seus valores num contexto mundial”.

O primeiro-ministro polaco, Donald Tusk, e a ministra dos Negócios Estrangeiros italiana, Federica Mogherini, foram nomeados a 30 de agosto, pelos líderes europeus, como – respetivamente – presidente do Conselho Europeu e Alta Representante para a Política Externa e de Segurança da União Europeia. No caso de Mogherini – que acumula o cargo com o de vice-presidente da futura “Comissão Juncker” – falta ainda a luz verde do Parlamento Europeu.