A estreia oficial de “O Velho do Restelo” no Festival Internacional de Cinema de Veneza verifica-se na terça-feira à tarde, 02 de setembro, na Sala Grande, com o título internacional “The old man of Belem”.

Manoel de Oliveira – que recebeu um Leão de Ouro de carreira em Veneza, em 2004 – reúne, neste novo filme, num banco de jardim do século XXI, várias personagens e escritores históricos: Dom Quixote, o poeta Luís Vaz de Camões, o poeta Teixeira de Pascoaes e o romancista Camilo Castelo Branco.

A produtora, na apresentação da obra, define-a como “um mergulho livre e sem esperança na História tal qual a conhecemos, com um sedimento fértil na memória de Manoel de Oliveira”.

As personagens são interpretadas por Luís Miguel Cintra (Camões), Ricardo Trepa (Dom Quixote), Diogo Dória (Teixeira de Pascoaes) e Mário Barroso (Camilo Castelo Branco).

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Na equipa técnica estão colaboradores de longa data de Manoel de Oliveira, como Renato Berta, na fotografia, Henri Maïkoff, no som, Christian Marti, na decoração, Adelaide Trêpa, no guarda-roupa, e Valérie Loiseleux, na montagem.

O novo filme do cineasta português de 105 anos é uma produção de O Som e a Fúria em coprodução com a distribuidora Francesa Epicentre Films, entidade que distribui os filmes de Oliveira em França, desde “Cristóvão Colombo, O Enigma” (2008).

A rodagem teve início em abril deste ano, no Porto, cidade onde o cineasta nasceu, em 1908, tendo criado até hoje mais de três dezenas de filmes.

A 71.ª edição do mais antigo certame internacional dedicado ao cinema decorre até ao próximo sábado, 06 de setembro. O festival encerra com a entrega dos prémios – Leões de Ouro e de Prata – aos filmes em competição e com a exibição de “The Golden Era”, de Ann Hui.