O índice de preços da produção industrial recuou ligeiramente em julho face ao mês anterior, tanto na zona euro como na União Europeia (UE), enquanto Portugal contrariou a tendência e subiu 0,3%, segundo dados hoje publicados pelo Eurostat.

Os números divulgados pelo gabinete oficial de estatísticas da UE revelam que os preços registaram em julho uma queda ligeira de 0,1% na zona euro face ao mês anterior e que cederam 0,2% para o total dos 28 Estados-membros da União Europeia.

Já Portugal contrariou a tendência europeia e os preços da produção industrial subiram 0,3% em julho, em cadeia, depois de em maio e junho terem ficado inalterados, tal como o Instituto Nacional de Estatística (INE) já tinha divulgado em meados de agosto.

Em termos homólogos, ou seja, em comparação com julho de 2013, os preços da produção industrial desceram 1,1% nos 18 países que partilham a moeda única e 1,3% na União Europeia.

Neste caso, também em Portugal os preços caíram, 0,8% em julho deste ano em relação ao mesmo mês do ano passado, confirmando um comportamento descendente que já se verificava nos últimos meses.

Segundo o Eurostat a queda de 0,1% em julho nos preços da produção industrial na zona euro, face a junho, justifica-se pela queda de 0,6% no setor da energia, uma vez que os preços se mantiveram estáveis nos outros grupos de produtos. Nos 28 países, a queda de 0,2% em cadeia também se deve ao recuo dos preços da produção industrial do setor energético (-0,9%). Assim, se não fosse o setor da energia, em cadeia, os preços tinham-se mantido estáveis.

Também em termos homólogos, a energia justifica em grande medida a queda dos preços, de acordo com o gabinete de estatísticas oficiais da UE.