Os negócios no comércio a retalho aumentaram 2% em setembro, acima do crescimento de 1,5% do mês anterior, revelam dados do INE, que indicam ainda subidas no emprego e nas remunerações do setor.

O Instituto Nacional de Estatística (INE) atribui o aumento do índice de negócios ao desempenho do agrupamento de Produtos não alimentares, que passou de um crescimento homólogo de 3% em agosto para 4,1% em setembro.

Pelo contrário, o índice do agrupamento de produtos alimentares apresentou em setembro uma diminuição homóloga de 0,8%, maior do que a quebra de 0,5% em agosto.

O INE dá ainda conta da subida de 1,5% em termos homólogos das vendas no comércio a retalho no terceiro trimestre deste ano, acima do aumento de 0,3% no trimestre anterior.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A variação homóloga trimestral das vendas do agrupamento de produtos alimentares representou uma queda de 0,9%, maior que a de 0,8% no segundo trimestre, enquanto no agrupamento produtos não alimentares as vendas aumentaram 3,4%, acima da subida de 1,1% no trimestre anterior.

Em setembro, o índice de emprego no comércio a retalho aumentou 0,3%, quando em agosto tinha diminuído 0,1%, enquanto o índice de remunerações subiu 1,7%, em termos homólogos, mais que a variação de 0,1% registada em agosto.

Mas quando comparado com o mês anterior, o índice das remunerações caiu 2,3% em setembro, mas menos que a descida de 3,8% registada no mesmo mês de 2013.

O volume de trabalho no comércio a retalho, avaliado pelo índice de horas trabalhadas ajustado de efeitos de calendário, diminuiu 0,2% em setembro, em termos homólogos, mas menos do que a quebra de 1,6% no mês anterior.