O navio NRP Viana do Castelo, da Marinha portuguesa, que se encontra em patrulha ao serviço da agência FRONTEX ao largo da ilha italiana de Lampedusa, no sul da Sicília, fez parte, na passada sexta-feira, de uma missão de salvamento de 196 imigrantes africanos a bordo de uma embarcação de madeira, que tentavam chegar a território europeu.

Foram recolhidas 15 crianças, incluindo um bebé de um ano e as restantes com idades até aos dez anos, 20 mulheres e 166 homens, num total de 201 imigrantes provenientes da Líbia, e de vários países de África, segundo a página noticiosa da Marinha portuguesa.

Muitos dos imigrantes que estavam na embarcação apresentavam sinais de pré-hipotermia, desidratados e com fome. Foram prestados cuidados médicos primários e distribuída água a bordo da embarcação portuguesa. Os imigrantes tinham partido da Líbia rumo a Itália.

Horas depois, os imigrantes foram transferidos para o navio da Marinha Italiana San Giorgio, que os levou até terra.

Pensa-se que cerca de 2.500 imigrantes tenham morrido afogados este ano ao tentar entrar na Europa pelo mar Mediterrâneo. Nos primeiros nove meses de 2014 atravessaram 160 mil, sendo que 90.000 foram resgatados no meio do mar.