O Presidente francês, François Hollande, confirmou nesta quarta-feira que dois homens franceses foram identificados no vídeo do Estado Islâmico que mostra a decapitação de 18 prisioneiros sírios e um norte-americano.

“Tudo o que podemos dizer por agora é que aparecem dois franceses”, disse Hollande numa conferência de imprensa em Camberra, na Austrália. “Um já foi categoricamente identificado e o outro está prestes a ser”, explicou.

Os investigadores concluíram que o primeiro é Maxime Hauchard, de 22 anos, original da Normandia, mas não divulgaram pormenores sobre o segundo homem, que também acreditam ser francês.

Hollande disse não ser ainda claro qual o papel destes homens nas decapitações e que isso será algo que o “sistema judicial terá de estabelecer”. Segundo o ministro do Interior francês, Bernard Cazeneuve, Hauchard partiu para a Síria “em agosto de 2013 depois de ter estado na Mauritânia em 2012” e após “ter-se alegadamente radicalizado online”.

Estima-se que cerca de mil franceses participem no conflito na Síria e no Iraque, com cerca de 375 atualmente nesses países. Pelo menos 36 já lá perderam a vida, segundo o Governo. O Presidente francês manifestou preocupação com a forma como estes jovens estavam a ser alvo de “lavagens ao cérebro”.

“Podem ter qualquer tipo de passado, qualquer origem étnica, mas são facilmente alvo de lavagens cerebrais e isso é muito importante. Temos de ser vigilantes e fortes”, disse.