Ténis de Mesa

Presidente elogia brio, dedicação e crença na vitória da seleção campeã de Ténis de Mesa

Cavaco Silva felicitou a seleção nacional de Ténis de Mesa pelo título europeu, afirmando que "não basta nascer com talento, é preciso muito trabalho".

O presidente da República acompanhado pelo treinador da seleção de tenis de mesa e restante equipa

Miguel A.Lopes/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O Presidente da República elogiou o brio, entusiasmo, dedicação e crença na vitória demonstradas pela seleção nacional campeã europeia de Ténis de Mesa, reiterando que “não basta nascer com talento, é preciso muito trabalho”. “Quero felicitar os atletas pelo brio com que defenderam as cores nacionais, pelo entusiasmo, a dedicação e a crença na vitória, mesmo nos momentos difíceis acreditaram que era possível vencer”, afirmou o chefe de Estado, Aníbal Cavaco Silva, numa cerimónia no Palácio de Belém em que homenageou a seleção nacional campeã europeia de Ténis de Mesa, condecorando os atletas, o treinador e o presidente da federação.

Felicitando a seleção nacional de Ténis de Mesa pelo grau de profissionalismo que demonstraram, Cavaco Silva lembrou os seus tempos de antigo praticante da modalidade para sublinhar o trabalho que é necessário e as horas de treino diárias necessárias para atingir “um nível de excelência que conduz ao sucesso”. “Tenho dito, e repito, que nas diferentes modalidades desportivas não basta nascer com talento, é preciso trabalho, muito trabalho, para conseguir o sucesso e estes nossos atletas são o exemplo disso mesmo”, frisou. Por isso, acrescentou, é devido um reconhecimento público aos atletas, à federação e ao treinador da seleção.

Na sua breve intervenção, o Presidente da República fez ainda referência à pouca difusão da modalidade em Portugal e ao pequeno número de atletas, defendendo que é necessário “um esforço” “É preciso um esforço para a difusão da modalidade e esse esforço deve começar na escola e sei que é essa a aposta na federação portuguesa de Ténis de Mesa”, disse o chefe de Estado.

Falando em nome dos homenageados, o presidente da Federação de Ténis de Mesa, Pedro Moura, recordou o encontro que teve com o Presidente da República em março e “a expressão de paixão e até de alguma emoção” com que Cavaco Silva falava sobre a modalidade e dos tempos em que era praticante. “Muita coisa mudou no Ténis de Mesa de Portugal desde esses tempos até hoje, mas a paixão mantém-se como a característica principal desta comunidade que se dedica de modo único a uma das mais belas modalidades do atual programa olímpico”, sustentou.

Na cerimónia realizada esta tarde os atletas Marcos Freitas, Tiago Apolónia, João Monteiro, João Geraldo e Diogo Chen foram agraciados com o grau de Comendador da Ordem do Infante D. Henrique, enquanto o treinador da seleção, Pedro Rufino, e o presidente da Federação Portuguesa de Ténis de Mesa, Pedro Moura, foram condecorados com o grau de Oficial da Ordem do Mérito. Entre os convidados presentes estavam o ministro da Presidência, Luís Marques Guedes, o secretário de Estado do Desporto, Emídio Guerreiro, a chanceler do Conselho das Ordens Nacionais, Manuela Ferreira Leite, e a ex-atleta Rosa Mota.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Crónica

Amorfo da mãe /premium

José Diogo Quintela

O Governo deve também permitir que, no dia seguinte ao trauma que é abandonar a criança no cárcere escolar, o progenitor vá trabalhar acompanhado pelo seu próprio progenitor. Caso precise de colinho.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)