Se não for um cliente abastado, não vá ao Barclays abrir conta. Se tiver um envolvimento bancário (património e créditos) inferior a 100 mil euros e um rendimento mensal inferior a três mil euros, não pode ser classificado como cliente premier pela sucursal portuguesa do banco inglês. Nestas condições, podem desaconselhá-lo a abrir conta para evitar ter de pagar uma comissão de gestão de conta.

“Neste momento, queremos trabalhar o segmento premier. São clientes cujo envolvimento financeiro é, no mínimo, de 100 mil euros, mas, a partir de janeiro, passará para 50 mil euros. Ou um cliente que receba mensalmente três mil euros ou mais na sua conta”, revelou o diretor de uma agência ao Observador, que aconselhou um potencial cliente a não abrir conta.

Fonte oficial do Barclays em Portugal explica que o banco não afasta qualquer potencial cliente. A indicação da direção do Barclays às agências é a de alertar sobre a comissão de gestão, caso o interessado em abrir conta não reúna as condições para ser classificado como premier. Os clientes que não sejam classificados de premier são alvo de uma comissão de gestão de conta de 25 euros por trimestre, acrescido de Imposto do Selo de 4%. Os clientes que abriram conta há mais de 14 meses não são alvo desta comissão, mesmo que não sejam premier.

Em setembro, o Barclays reconheceu ter o negócio português à venda, mas, na falta de comprador, teria de emagrecer a atividade através da redução de agências e de pessoal, entre 350 e 400 colaboradores. O objetivo é ter entre 80 e 90 balcões nacionais, entre um quarto e um terço do que tinha em 2011.

iPads para os gestores de conta

Para compensar a redução de agências, o Barclays equipou os gestores de clientes com iPads, tablets com aplicações especializadas para satisfazer as necessidades dos clientes. “Tenho muitos clientes que não vêm à agência. Eu vou ter com eles a casa ou ao escritório”, conta o diretor de agência. As novas aplicações permitem a abertura de conta longe dos balcões cumprindo todos os requisitos legais, incluindo o reconhecimento de assinatura. Demora 15 minutos a abrir conta através dos tablets. O Barclays investiu um milhão de euros nestas soluções digitais até agosto de 2014, incluindo o desenvolvimento de aplicações para clientes.

É também com os iPads que os gestores de clientes fazem as apresentações de propostas financeiras. Atualmente, nos investimentos, as soluções sugeridas pelo Barclays envolvem maioritariamente depósitos a prazo, fundos geridos pelo Barclays e por entidades internacionais, seguros de capitalização e produtos estruturados.

No início de 2014, o Barclays tinha cerca de 175 mil contas bancárias ativas em Portugal, segundo a Associação Portuguesa de Bancos. Os recursos dos clientes somavam 2,9 mil milhões de euros no final de 2013, menos 25% do que tinha em 2010. A sucursal portuguesa do banco inglês teve prejuízos de 320 milhões de euros em 2013.