O Novo Banco viu as suas contas serem limpas de uma responsabilidade no valor de 548,3 milhões de euros que foi transferida para a esfera jurídica do Banco Espírito Santo (BES). A informação foi divulgada nesta terça-feira através de um comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

A instituição que resultou da medida de resolução aplicada ao BES refere ter sido notificada pelo Banco de Portugal da decisão, assumida pelo conselho de administração do regulador em 22 de dezembro. O valor em causa corresponde a responsabilidades do BES perante a Oak Finance Luxemburg, um veículo criado pelo banco de investimento Goldman Sachs através do qual foram concedidos financiamentos à instituição financeira do Grupo Espírito Santo (GES), numa altura em que atravessava fortes dificuldades em obter recursos nos mercados.

A deliberação do Banco de Portugal tem efeitos a 3 de agosto de 2014, data da resolução, e permite ao Novo Banco aumentar as respetivas reservas naquele montante. O veículo Oak Finance Luxemburg foi criado em julho de 2014 e os recursos que angariou para os cofres do BES dificilmente serão recuperáveis.