O motorista do ex-primeiro-ministro foi esta tarde libertado para passar a estar preso na sua casa do Samouco, Alcochete. João Perna vai ser vigiado através de videovigilância na sequência de um requerimento apresentado pelo seu advogado na última semana.

O advogado Ricardo Marques Candeias confirmou ao Observador que os Técnicos da Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais deram parecer favorável às condições que a casa de João Perna reunia. O juiz Carlos Alexandre não tardou a despachar a decisão e notificou o arguido ainda esta tarde de terça-feira para a alteração da medida de coação.

“Aconteceram factos muito relevantes que levaram a que a defesa apresentasse um requerimento. É uma grande vitória para a defesa”, disse o advogado.

A alteração da medida de coação surgiu na sequência de um interrogatório ao arguido. O advogado explicou que, numa primeira fase, João Perna “prestou declarações num determinado sentido e numa determinada amplitude”, referindo-se ao primeiro interrogatório judicial. E que agora, na sequência do seu pedido para ser ouvido, fez novas declarações. E foi na sequência do seu depoimento que o próprio Ministério Público tomou a iniciativa de atenuar a medida de coação.

O advogado disse que o juiz terá entendido já não existirem os perigos de fuga e de perturbação de prova. Ricardo Marques Candeias recusou, ainda, afirmar se o cliente viajava para Paris a pedido de Sócrates.