As autoridades da Malásia declararam como “acidente” o desaparecimento, em março de 2014 e sem deixar rasto, do MH370 da Malaysia Airlines, noticiam o Guardian e a BBC. A declaração oficial deixa sem resposta as famílias que esperaram durante 10 meses alguma pista sobre as causas do acidente. A partir daqui, poderão ser acionados os mecanismos legais para pedir às seguradoras uma compensação financeira.

Mesmo assim, segundo diz a BBC, as buscas vão continuar no sul do Oceano Índico, sendo ainda consideradas uma “prioridade”.

No voo seguiam viagem de Kuala Lumpur para Pequim 239 pessoas. As operações de busca foram realizadas com a ajuda de vários países – incluindo a Austrália – e foram sucessivamente alargadas a áreas geográficas diferentes. Atualmente, as autoridades acreditam que pode estar localizado perto da cidade australiana de Perth.

O Governo da Malásia foi bastante criticado pela gestão do processo, sobretudo pelos familiares das vítimas.