A atleta Filomena Costa que, com a vitória na Maratona de Sevilha confirmou mínimos para os Mundiais de Pequim, assegurou que, apesar de difícil, irá lutar por uma das vagas para os Jogos Olímpicos do Rio2016. “Depois do Mundial, em agosto, vou pensar nos Jogos Olímpicos. Vai ser difícil, dado que estão quatro atletas para três vagas, e poderão mesmo ser cinco, mas também lá estarei para tentar um lugar”, disse Filomena Costa à agência Lusa.

Filomena Costa venceu domingo a Maratona de Sevilha, em Espanha, celebrando da melhor forma o seu trigésimo aniversário, com um recorde pessoal de 2:28.00 horas, marca que supera os mínimo para os Mundiais de Pequim e garante entrada no projeto olímpico. “Comecei a prova não a pensar na vitória, mas sim em tentar mínimos para entrar no programa de preparação olímpica e confirmar a minha marca para o Mundial”, explicou Filomena Costa, que representa o ACD Jardim da Serra.

Mas, a partir de certo momento do percurso, a atleta viu que era possível vencer e foi o que fez, retirando mais de três minutos à sua melhor marca, que era de 2:31.08 horas, estabelecida a 4 de maio de 2014, na Maratona de Hamburgo. Com a entrada no projeto olímpico, Filomena Costa espera ter mais apoios, principalmente ao nível da participação em estágios, pois já no que toca à preparação esta não irá ser muito diferente da que a atleta tem previsto.

Depois de 15.ª no Europeu, que foi o primeiro em que a atleta participou, Filomena Costa vai ter a sua estreia num Mundial, em Pequim, depois de em Sevilha ter registado a oitava melhor marca portuguesa de todos os tempos na distância. A atleta “sacode”, no entanto, a pressão. “Vai ser o meu primeiro Mundial e a partir daí vou pensar no futuro. O ano passado tive o meu primeiro Europeu e fui 15.ª, agora este ano irá ser o meu primeiro Mundial”.

Ana Dulce Félix, atleta com quem treina, é uma das referências e fonte de inspiração para Filomena Costa, para além de outras atletas de topo a nível nacional, como Jéssica Augusto. “Tenho muito orgulho no trabalho que elas estão a desenvolver, principalmente a Dulce Félix, uma atleta que treina comigo e que é para mim uma referência. Depois, há também a Jéssica Augusto, que admiro muito o trabalho dela”, disse.

Filomena Costa obteve na cidade espanhola de Sevilha a sua primeira vitória numa maratona, impondo-se à etíope Abebech Bekele (2:33.49 horas) e à queniana Mercy Jelimo (2:34.53 horas).