O Serviço Nacional de Saúde britânico lançou uma calculadora que prevê a data provável de um ataque cardíaco ou de um AVC de acordo com os fatores de risco de uma determinada pessoa, como escreve o Telegraph. Esta aplicação online dá ainda ao utilizador a possibilidade de conhecer a idade cardíaca, por oposição à idade biológica, e de saber a probabilidade de sofrer um ataque no espaço de uma década. O objetivo passa por “assustar” aqueles que estão em risco para levá-los a mudar o seu estilo de vida.

Para fazer o teste, é necessário ter mais de 30 anos. É conveniente saber os níveis de colesterol e de pressão sanguínea para que os resultados sejam fiáveis, pode ler-se numa nota no site da aplicação.

Além disso, a calculadora pede aos indivíduos que apontem a sua idade, altura, peso, que digam se são ou não fumadores, e outros detalhes da história médica. É ainda necessário indicar se os familiares tiveram problemas cardíacos antes dos 60 anos.

Esta ferramenta está a gerar polémica, com alguns críticos a duvidarem da precisão de um teste que diz a todos os britânicos que um dia terão um ataque cardíaco ou um AVC. Outros pensam que a calculadora levará milhões de pessoas a tomar medicação. Há ainda quem esteja preocupado com a ansiedade provocada a indivíduos que não podem alterar o estilo de vida, uma vez que o maior fator de risco é a história de doenças familiares, algo que não poderão controlar.

Segundo o Telegraph, um estudo demonstrou que as calculadoras deste tipo existentes nos EUA exageram largamente o risco de doenças cardíacas.

As doenças cardíacas estão entre as principais causas de morte no Reino Unido. Em 2013, mais de 18 mil pessoas morreram vítimas destas doenças. Há cerca de 90 mil ataques cardíacos em Inglaterra todos os anos.