O líder norte-coreano Kim Jong-un pediu aos atletas do país para se inspirarem nas táticas das “guerrilhas” de modo a aumentarem o seu grau de disciplina na cena desportiva internacional, onde a Coreia do Norte não deixou, até agora, boa impressão.

Numa carta redigida por ocasião de uma reunião nacional de desportistas e de dignitários, o dirigente norte-coreano, conhecido pelo seu amor ao desporto, lamentou que a Coreia do Norte esteja “atrasada em relação ao resto do mundo”, no que toca à ciência e estratégia desportiva.

A carta, repleta de retórica militar, explica que o desporto oferece à Coreia do Norte uma oportunidade para promover o país no estrangeiro.

“Em tempos de paz, apenas os atletas podem elevar as cores da bandeira nacional da RPDC [República Popular Democrática da Coreia] no céu de outros países”, disse o líder, citado pela agência oficial KCNA.

Kim prometeu reunir o apoio da opinião pública mundial, que fará da Coreia do Norte uma potência desportiva “daqui a alguns anos”, e explicou que os atletas devem inspirar-se na luta contra a ocupação japonesa da península coreana para progredir.

“As autoridades desportivas e os treinadores devem implementar táticas semelhantes à da guerrilha anti-japonesa em cada evento desportivo de modo a triunfarem”, afirmou.