Presidenciais 2016

Alegre defende Nóvoa: “Não repitam os erros”

O ex-candidato presidencial, que não conseguiu o apoio do PS quando se candidatou a primeira vez, está irritado com as críticas a Sampaio da Nóvoa e pede para que não sejam cometidos os mesmos erros.

MÁRIO CRUZ/LUSA

Manuel Alegre não gostou de ver dirigentes do PS a criticarem Sampaio da Nóvoa e lembra o passado, do qual o próprio foi protagonista, para pedir ao partido para não repetir os mesmos erros.

“Os erros de alguns dirigentes do PS são em parte responsáveis pelo facto de Cavaco Silva ser Presidente da República [PR]. É bom que esses erros não se repitam”, disse em declarações ao DN. Alegre referiu ainda que foram esses mesmos erros que levaram à eleição de Cavaco Silva como Presidente em 2006, ano em que se candidatou à Presidência da República, mas sem o apoio do PS, que decidiu apoiar Mário Soares.

As declarações do histórico socialista e ex-candidato a Presidente da República surgem na sequência de declarações de vários socialistas, incluindo Sérgio Sousa Pinto, deputado e secretário nacional do partido, que comparou o ex-reitor da Universidade de Lisboa a Jose Mujica, ex-presidente do Uruguai, e que acabou as críticas dizendo: “Esta não é a minha esquerda”.

Ora, se não é a esquerda do dirigente do PS, é, pelo menos a de Manuel Alegre, que ao Diário de Notícias acrescenta ainda que Sampaio da Nóvoa é “um homem de esquerda e não um esquerdista”.

A defesa de Sampaio da Nóvoa por parte de Manuel Alegre não configura para já um apoio, como o que fez Mário Soares logo desde início. Alegre prefere esperar pela decisão de António Costa que onde, por uma casualidade interessante, esteve com Sampaio da Nóvoa em duas ocasiões: primeiro na apresentação do projeto de recuperação da gare do Arco do Cego e mais tarde na tomada de posse de Fernando Medina, como presidente da Câmara de Lisboa. O ex-presidente e secretário nacional do partido já tinha reagido de manhã à disponibilidade de Sampaio da Nóvoa dizendo que “no momento próprio” o PS vai escolher que candidato apoiar.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Crónica

E se o nosso futebol fosse gerido por comunistas?

João Pestana de Vasconcelos

Se aplicássemos as ideias comunistas ao futebol português, deixaríamos as boas intenções de ajudar os mais desfavorecidos arruinar a sua competitividade. Porque havemos de as aplicar à nossa economia?

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)