Eleições Presidenciais

Sampaio da Nóvoa é “ilustre desconhecido”, diz António Vitorino

1.440

António Vitorino diz que Sampaio da Nóvoa "pode dividir mais a direita do que a esquerda" e considera que "o candidato natural do PS às presidenciais é Guterres".

Sampaio da Nóvoa é “um ilustre desconhecido” e a candidatura do ex-reitor da Universidade de Lisboa “pode dividir mais a direita do que a esquerda”, afirma António Vitorino. O socialista diz que “o candidato natural do PS às presidenciais é António Guterres”. Quando confrontado com o facto de Guterres não ter dito que era candidato, Vitorino responde: “também não disse que não era”.

As declarações de António Vitorino aconteceram no comentário habitual na SIC Notícias, que partilha com Pedro Santana Lopes. O social-democrata, por seu lado, diz não acreditar “que Guterres esteja fora das presidenciais”, mas remata: o “fantasma Guterres agora está substituído, pelo menos durante uns tempos, pelo fantasma Sampaio da Nóvoa”.

As eleições presidenciais foram o tema forte do debate. O ex-ministro do governo de António Guterres considera que o recente anúncio de Sampaio da Nóvoa serviu para “marcar terreno”, mas “o problema da antecipação é que é uma jogada de risco”, afirma Vitorino.

“Quem se ponha a candidato hoje vai estar constantemente confrontado com o debate das legislativas” e, consequentemente, vai ser chamado a debater sobre o assunto — “o pior possível para uma candidatura presidencial”, conclui.

Santana Lopes analisou ainda as dinâmicas esquerda/direita no que toca a apresentar só um candidato ou apresentar mais do que um candidato. “A esquerda tem esta vantagem: apresenta várias candidaturas. Não há nenhum pânico à esquerda por causa disso”, o que não acontece à direita.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Sindicatos

Vivam as greves livres

Nuno Cerejeira Namora

Estes movimentos têm de ser encarados como o sintoma de um mal maior: a falência do sindicalismo tradicional e a sua incapacidade de dar resposta às legítimas aspirações dos seus filiados.

Sindicatos

Vivam as greves livres

Nuno Cerejeira Namora

Estes movimentos têm de ser encarados como o sintoma de um mal maior: a falência do sindicalismo tradicional e a sua incapacidade de dar resposta às legítimas aspirações dos seus filiados.

Sri Lanka

Ataque terrorista à geografia humana de Portugal

Vitório Rosário Cardoso

É quase indissociável desde o século XVI na Ásia marítima a questão de se ser católico e de se ser Português porque afirmando-se católico no Oriente era o mesmo que dizer ser-se Português. 

Museus

Preservação do Património Cultural

Bernardo Cabral Meneses

As catástrofes ocorridas no Rio de Janeiro e em Paris deverão servir de exemplo para ser reforçada a segurança contra incêndios nos edifícios e em particular nos museus portugueses.

Liberdades

Graus de liberdade /premium

Teresa Espassandim

Ninguém poderá afirmar que é inteiramente livre, que pouco ou nada o condiciona, como se a liberdade significasse tão só e apenas a ausência de submissão e de servidão.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)