Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A beleza está-lhe nos genes — bem como a queda para o estrelato –, não fosse ela filha de Johnny Depp e Vanessa Paradis. Com apenas 15 anos de idade, Lily-Rose Depp está a ser apontada como a próxima it girl. E tudo começou quando, no início de abril, escolheu marcar presença no desfile da coleção Metiers d’Art da Chanel, em Nova Iorque. À aparição pública feita na companhia da mãe, agora com 42 anos, seguiu-se a estreia numa revista de moda. Foi o suficiente para que o seu nome começasse a circular na imprensa internacional.

https://twitter.com/planetgossipnet/status/592747061633777665

Não é exagero. A Vogue, o Daily Mail e até o Huffington Post falam dela com generosidade e elogiam-lhe a beleza e o estilo, os quais podem ser vistos na produção fotográfica para a edição de abril da Oyster magazine — a adolescente foi fotografada por Dana Boulos, em Los Angeles. As imagens são acompanhadas por uma pequena entrevista de pergunta-resposta com base nos gostos da jovem, desde a última música que ouviu à loja que gostaria de assaltar (se o pudesse fazer, claro).

https://twitter.com/bonecanamia/status/591622660930609155

Mas não são só os editoriais de moda que lhe caem bem (tal qual a roupa), até porque Lily-Rose está apostada em seguir as pisadas do pai no mundo do cinema. Se no ano passado apareceu em Tusk, o próximo projeto dá pelo nome Yoga Hosersfilme onde vai contracenar com o próprio Johnny Depp.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O furor pela adolescente não é, no entanto, visto com bons olhos por todos. Na secção de opinião do jornal britânico The Independent, há quem alegue que Lily-Rose não está “crescida” (“all grown up”, em inglês), como algumas publicações optaram por escrever. “Enquanto continuarmos a babar-nos por imagens de raparigas com menos de 16 anos, estamos a reforçar a ideia de que as mulheres apenas têm valor enquanto são novas”, diz Harriet Williamson.

Apesar da crítica, é fácil recordar que a indústria da moda tem um particular interesse por raparigas novas, com algumas das modelos mais bem pagas da atualidade a terem sido descobertas quando ainda eram adolescentes. Tal como Kate Moss, Naomi Campbell, Lily Cole e até Gemma Ward.