O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, afirmou que o programa de estímulos lançado pela instituição está a funcionar e vai manter-se até ser necessário para impulsionar a inflação e a confiança na zona euro.

Num discurso em Washington, Draghi referiu que o programa de compra de ativos, lançado em março e que estará em vigor pelo menos até setembro de 2016, no valor global de 1,1 biliões de euros, “tem provado até agora ser eficaz, mais do que muitos observadores antecipavam”.

O líder do BCE, que falava numa conferência promovida pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), assinalou que o programa, cujo objetivo é impulsionar a retoma, mantendo taxas de juro baixas e contrariar os riscos de deflação, será aplicado na totalidade.

“Os estímulos monetários vão manter-se até serem necessários”, indicou, “até haver um ajustamento consistente na trajetória da inflação”, adiantou.

Draghi afirmou também que uma política contínua de taxas de juro muito baixas pode “ter efeitos secundários” e defendeu que é importante identificar essas consequências e corrigi-las se necessário.

 

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR