O primeiro-ministro e presidente do PSD acusou hoje o PS de arrogância e falta de maturidade democrática, a propósito da intenção declarada pelos socialistas de reverter os processos de privatização de empresas de transportes públicos.

Em declarações aos jornalistas, à margem de uma cerimónia na Direção-Geral de Autarquias Locais, em Lisboa, Pedro Passos Coelho alegou que “o PS, praticamente todas as semanas ou todos os dias, afirma que desfará o que este Governo tem vindo a fazer” e que esse discurso corresponde a, “de certa maneira, ameaçar os concorrentes”.

Referindo que “o que o Governo está fazer está assente na lei, no seu programa, naquilo para que está mandatado”, o presidente do PSD acrescentou: “Não nos parece que seja um bom sinal que o PS venha adotando uma certa postura arrogante e autoritária de dizer: tenham cuidado que nós vimos aqui nós vamos ganhar as eleições vamos fazer o Governo e portanto tudo o que estes senhores andam a fazer é para desfazer, os senhores não se atrevam a contrariar as nossas ideias”.

O chefe do executivo PSD/CDS-PP considerou que o PS está a dar entender aos candidatos às privatizações que “se vão meter num negócio muito mau, porque depois o próximo Governo vai desfazer tudo o que o atual Governo está a fazer”, dizendo-lhes “ainda não ganhámos, mas cuidado com as nossas ideias, os senhores vejam lá com quem é que se vão meter”.

Segundo Passos Coelho, para além de “arrogante”, o comportamento do PS “não é sinal de grande maturidade” e não constitui “um benefício para a democracia portuguesa, para a maturidade da democracia”.