A Polícia de Segurança Pública não queria que a festa benfiquista, que ocupou a praça do Marquês de Pombal, em Lisboa, no último domingo, decorresse da forma como foi organizada. Segundo fonte policial, em declarações à Rádio Renascença, a PSP deu parecer negativo às celebrações resultantes do jogo disputado entre o Vitória de Guimarães e o Benfica. A 17 de maio o clube encarnado sagrou-se bicampeão nacional, mas os festejos depressa deram lugar a cenas de violência, com confrontos protagonizados entre agentes policiais e adeptos.

Diz a Renascença que foram realizadas quatro reuniões nas últimas duas semanas e meia para determinar a festa do título. Nelas, a PSP mostrou-se sempre reticente face à proposta da Câmara de Lisboa, tomada em conjunto com o clube da Luz, e que, mesmo perante “sérias reservas” da polícia, acabou por vingar. A PSP afirmou sempre preferir o modelo usado no ano passado — com um palco em frente à estátua do Marquês de Pombal, ao contrário do palco circular que foi usado no domingo — e chegou a propor outras alternativas.

No centro das preocupações da PSP estavam, essencialmente, duas questões: a possível venda de bebidas em garrafas de vidro e a localização do palco no centro da praça do Marquês de Pombal — o que podia criar problemas de planeamento operacional tendo em conta, sobretudo, o perímetro de segurança.

A mesma fonte fez saber que o animador nunca leu os conselhos de segurança na instalação sonora, tal como havia sido combinado com a polícia. E revela que as imagens em que um polícia agride um adepto à frente dos filhos foram passadas várias vezes, pela Benfica, TV nos ecrãs gigantes instalados no Marquês de Pombal. José Magalhães foi agredido no último domingo à saída do jogo que determinou o título, em Guimarães.

Entretanto, José Magalhães negou ter cuspido na cara do agente, que assim justificou a agressão. O empresário disse que não faltou ao respeito às autoridades, até porque os polícias nas imediações do estádio tinham sido “prestáveis” ao deixarem a família sair devido a uma indisposição do filho mais novo. Avançou ainda que vai processar o agente.

O relato destas imagens já ultrapassaram fronteiras, com o Daily Mail, a título de exemplo, a dar destaque à violência que marcou a segunda vitória consecutiva da equipa encarnada no campeonato nacional.