“Um dia bom para FIFA e para o futebol. A mudança está finalmente a chegar”. Luís Figo reagiu quase imediatamente, através das redes sociais (Twitter e Facebook), ao anúncio de demissão de Joseph Blatter da presidência da FIFA.

Numa curta mensagem de quatro linhas, com tradução em inglês e em castelhano, o ex-internacional português não esconde a satisfação. “Como disse na minha declaração de sexta-feira [após a reeleição do suíço]: o dia podia tardar, mas chegaria. Ele aí está!”

Figo, que entrou na corrida eleitoral para a instituição que gere o futebol mundial mas desistiu antes da votação da passada sexta-feira (e do escândalo de corrupção), não revela contudo se será de novo candidato. No entanto, deixa uma mensagem para o futuro. “Devemos agora, de forma responsável e serena, procurar uma solução consensual em todo o mundo para que comece uma nova era de dinamismo, transparência e democracia na FIFA”.

FPF reage em vídeo

Também Fernando Gomes, presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), reagiu a esta reviravolta na FIFA, com a demissão de Blatter quatro dias depois de ter sido reeleito. Num vídeo publicado no site da FPF, de pouco mais de um minuto, o presidente afirma que “uma organização que se feche em si própria corre o risco de implodir”.

Fernando Gomes lembra que a FPF “esteve na primeira linha dos que defenderam” que Joseph Blatter “devia cessar funções”. Mas frisa também que este “não é um dia de guerra” e que “todos aqueles que gostam de futebol devem procurar soluções” para “o bem do futebol mundial”. O presidente federativo lembrou ainda que a instituição a que preside quer uma FIFA “mais forte, mais dinâmica, mais democrática e mais transparente”.

Sobre a hipótese de Figo voltar a candidatar-se, Fernando Gomes diz que aguardará pela decisão “pessoal” do jogador.