Há um segundo caso de morte na Europa ligado à MERS-CoV. Um alemão de 65 anos terá contraído a síndrome respiratória do Médio Oriente em fevereiro quando estava em Abu Dhabi. O homem foi internado no mesmo mês com uma infeção pulmonar, foi colocado em quarentena e sujeito a tratamentos. Os médicos acreditavam que o homem tinha superado a infeção, mas acabou por desenvolver uma nova doença pulmonar e morreu a 6 de junho. A notícia chega agora aos meios de comunicação social.

A MERS é da família do vírus responsável pela Síndrome Respiratória Aguda Severa (SARS) que, em 2008, fez cerca de 800 mortos em todo o mundo, mas é mais mortal e menos contagiosa. O primeiro caso registado na Europa data de 2013, quando um cidadão dos Emirados Árabes Unidos ficou também infetado com o vírus e acabou por morrer num hospital de Munique, Alemanha.

A República Checa anunciou entretanto que está internado num hospital de Praga um doente com suspeitas de ter contraído o vírus.

Fora da Europa, a situação tem sido particularmente grave na Coreia do Sul, onde já foram diagnosticadas mais de 100 pessoas. Até 10 de junho, tinham morrido nove pessoas.