Santos Populares

Só há São João no Porto? Estes eventos provam que não

103

"São João, São João, São João, dá cá um balão para eu brincar". Na noite de terça-feira vai brincar-se muito e em várias cidades do país. Saiba onde é que este santo popular tem direito a celebrações.

Braga reclama para si as "as maiores e mais antigas sanjoaninas de Portugal"

©Saojoaobraga.pt

Esta terça-feira, as atenções mediáticas vão estar centradas no Porto e nos festejos de São João. Mas a magnitude que se atinge nas festas sanjoaninas da segunda cidade do país não deve ser motivo para passar ao lado das celebrações que acontecem em outras paragens. O Observador olhou para o mapa das festas e reuniu alguns eventos de São João que também merecem uma visita.

É o caso de Braga, que reclama para si as “as maiores e mais antigas sanjoaninas de Portugal”. O Cortejo Histórico e a Corrida do Porco já lá vão, mas quem se deslocar à cidade minhota vai poder ver, por exemplo, uma rodopiada de Gigantones e Cabeçudos (12h30 e 15h00 na Praça da República).

Depois do concerto de carrilhões e dos vários momentos musicais de bandas filarmónicas, às 22h00 começa o tradicional Cortejo das Rusgas. À meia-noite o topo norte da Avenida da Liberdade é palco do bailarico popular e à 01h00 é hora de admirar o espetáculo de pirotecnia lançado do alto do monte Picoto sobre o terreiro de São João da Ponte. Às duas da manhã, quem ainda tiver folia pode dirigir-se à Avenida Central para ver o concerto gratuito de David Fonseca.

são joão figueira da foz

As marchas populares têm destaque no São João da Figueira da Foz. © Mauro Correia / Câmara Municipal da Figueira da Foz

Na Figueira da Foz, uma parte da festa assemelha-se à da Invicta, com as pessoas a saírem a rua na noite de 23 para 24 de junho com os martelinhos de plástico na mão, prontos a atingirem as cabeças mais próximas. Esta terça-feira às 22h00 parte o primeiro desfile das Marchas Populares, na Avenida 25 de Abril, com um total de 750 participantes. Este ano, o desfile conta com três pontos de atuação: em frente à Piscina Mar, em frente ao Pavilhão Multiusos e no final na Praça do Forte.

Após o desfile das Marchas Populares, no Molhe Interior Sul, começam os 10 minutos de espetáculo piromusical, a que se seguem os Arraiais Populares. Na Rua de São Lourenço vai estar a Banda Chic, na Praceta Ledesma Criado estará o Grupo HP, na Rua dos Pescadores atua o Duo S. Pedro e na Rua Dr. Manuel de Arriaga o Duo Lucy Lima. Este ano, a Praia do Forte é o centro da animação, com as fogueiras de São João e o típico Banho Santo, tudo com banda sonora de diversos DJs convidados.

Até 29 de junho, o Parque de Estacionamento da Avenida de Espanha está ocupado pela Feira de São João e seus carrosséis, carrinhos de choque, jogos de habilidade e tiro ao alvo, farturas e artigos regionais.

Onde também existe uma grande Feira de São João é em Évora. Nesta cidade alentejana, o santo padroeiro (com direito a feriado municipal) é São Pedro, mas é São João o santo mais celebrado, entre 19 e 29 de junho. Este ano, a Feira instalada no Rossio de São Brás celebra os 500 anos do Palácio de D. Manuel, mas há coisas que nunca podem faltar, seja qual for o tema.

Os visitantes encontrarão, por isso, vários divertimentos, artesanato e tasquinhas gastronómicas. Todos os dias, das 21h30 às 22h30, há um desfile pelo recinto de evocação festiva e caricaturada da Embaixada da Obediência, enviada pelo Rei D. Manuel ao Papa Leão X em 1514. Grande parte das atrações está aberta entre as 18h00 e as 24h00, pelo que o ideal é ir à noite. Não há martelinhos, nem marchas, mas animação não falta.

LONDON, ENGLAND - NOVEMBER 01:  A fireworks  general view of the firework display at Alexandra Palace on November 1, 2014 in London, England.  (Photo by Ben A. Pruchnie/Getty Images)

Em Almada, a noite de terça-feira termina com um espetáculo de fogo-de-artifício, na zona dos antigos estaleiros da Lisnave. © Ben A. Pruchnie/Getty Images

E se Lisboa não dorme na noite de 12 para 13 de junho, com as celebrações de Santo António, ali em frente Almada vai contando os dias que faltam até ao São João. Até 27 de junho há arraiais, bailes populares e música ao vivo a animar as várias freguesias nas noites de sextas, sábados e vésperas de feriados.

As marchas populares desfilam esta terça-feira na Avenida Aliança Povo MFA, em Cacilhas, embora a final só aconteça a 4 de julho no Complexo Municipal dos Desportos, no Feijó. Há também a tradicional procissão do santo padroeiro de Almada, em direção à Ramalha, no dia 23 de junho, e de volta à Igreja de São Tiago, no dia 24 de junho. A noite de 23 de junho termina com um espetáculo de fogo-de-artifício, na zona dos antigos estaleiros da Lisnave.

Para quem está a pensar visitar os Açores, a data de São João é uma boa escolha. Em Angra do Heroísmo, na ilha Terceira, as sanjoaninas fazem-se de desfiles, marchas, carros alegóricos, danças, bailaricos, sardinhadas e touradas, até dia 28 de junho. Existe um programa detalhado para cada dia e a oferta de atividades é variada, desde observações marinhas a passeios de barco à vela, passando por concertos de nomes como Buraka Som Sistema e José Cid.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)