O Partido Socialista aceita “todos os debates”, desde que sejam feitos “em condições de igualdade”. Para os socialistas, isso significa que o debate conjunto para as legislativas seja feito com quatro forças políticas (PSD, Bloco de Esquerda e as coligações CDU e PAF).

Na sequência do anúncio da coligação Portugal à Frente (PAF, formada por PSD e CDS), de que não irá participar no debate conjunto porque PS e PCP estão a boicotar a discussão com as seis forças políticas (Bloco de Esquerda, PS, PSD, CDS, PCP e Os Verdes), Porfírio Silva disse que “a cada candidatura” corresponde “um representante”.

Lembrando que os socialistas mantêm o que foi acordado com as televisões (três frente-a-frente entre António Costa e Passos Coelho), o dirigente partidário acusou o PSD de estar agora a fugir aos debates e a “lançar a confusão”. “Na realidade, toda a direita se juntou para tentar travar a vitória do PS”. Se as televisões tiverem outras propostas, Porfírio Silva disse que o partido irá considerá-las, desde que se respeitem “condições de igualdade. Batota é que não!”.

“O que não podemos aceitar é participar num jogo de futebol em que a nossa equipa tem 11 jogadores e a outra 22. Só falta comprar o árbitro”, acrescentou, sublinhando que, “para a comédia ficar completa, só falta o Dr. Paulo Portas reivindicar um debate com o Dr. Pedro Passos Coelho”.