O exército da Turquia afirmou ter matado cerca de 90 guerrilheiros do ilegal Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), em diferentes operações, informaram este sábado meios de comunicação social turcos.

De acordo com fontes de segurança e inteligência do país citados pelo diário Milliyet, a aviação turca “eliminou” 55 rebeldes curdos, num bombardeamento efetuado esta manhã no norte do Iraque. Aviões do tipo F-16 e F-4 2020 realizaram ataques contra as bases do PKK na região de Sinat-Haftanin, no norte do país vizinho.

Segundo fontes do diário, os aviões destruíram cavernas, tendas de campanha camufladas, refúgios especiais, assim como depósitos de logística e munições do PKK.

“A julgar pelas comunicações via radio entre os rebeldes do PKK, informações de fontes locais e fotos aéreas, entre 55 e 60 terroristas foram eliminadas”, assegurou o diário.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Por outro lado, os “media” turcos informaram ainda que, numa outra grande operação na província de Tunceli, no leste da Turquia, terão sido mortos outros 30 a 35 rebeldes do PKK. Nesta mesma região, um comando curdo sequestrou um suboficial do exército num posto de controlo numa estrada.

As tensões entre a Turquia e o PKK cresceram muito nos últimos meses, depois do fim de um cessar-fogo, em finais de julho. Desde então, morreram mais de 130 membros das diferentes forças de segurança turcas e centenas de guerrilheiros em confrontos e atentados do PKK.