Ciência

Reparação de ADN é fundamental para prevenção e tratamento de cancro

570

Os estudos dos mecanismos reparadores do ADN, que valeram o Prémio Nobel da Química a três cientistas estrangeiros, são fundamentais para a prevenção e o tratamento do cancro.

Thomas Lindalh, um dos galardoados com o Prémio Nobel da Química de 2015

AFP/Getty Images

Os estudos dos mecanismos reparadores do ADN, que valeram o Prémio Nobel da Química a três cientistas estrangeiros, são fundamentais para a prevenção e o tratamento do cancro, realçaram especialistas portugueses ouvidos pela agência Lusa. “As lesões no ADN são, provavelmente, a causa mais comum de cancro. Se não tivéssemos esta capacidade de reparar o ADN, o que teríamos era cancro por todo o corpo, tumores a aparecerem em todas as partes do corpo”, assinalou o investigador Sérgio Almeida, do Instituto de Medicina Molecular de Lisboa.

As pessoas que “têm mutações nalguns dos genes que estão envolvidos nos mecanismos” de reparação da informação genética “desenvolvem cancro com muita frequência”, sublinhou.

O investigador esclareceu que as células “dispõem de várias estratégias para reparar diferentes tipos de lesões que afetam o ADN”, permitindo prevenir a acumulação de mutações ou erros genéticos que podem levar ao aparecimento de cancro.

Sérgio Almeida, também professor na Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, compara os mecanismos de reparação do material genético existentes nas células a uma caixa de ferramentas, em que a chave de fendas, o alicate ou o martelo são usados consoante o tipo de falha a consertar. Se a reparação do ADN previne o aparecimento de cancro, também ajuda no seu tratamento.

O investigador explicou que a quimioterapia introduz danos no ADN que, depois, “a célula cancerígena não tem capacidade para reparar”, não lhe restando outra alternativa senão morrer.

Pedro Baptista, professor no Departamento de Ciências da Vida da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa, sustentou que a compreensão dos mecanismos que estão na origem dos erros genéticos pode ajudar na prevenção, por exemplo do cancro da pele.

“O excesso de radiação ultravioleta leva à formação de alterações químicas no ADN. Se evitarmos a exposição ao Sol e se a alimentação for rica em antioxidantes, conseguimos diminuir a probabilidade de acontecer estes erros, estamos a ajudar estes mecanismos de reparação a manter o texto [ADN] sem erros”, afirmou. O docente compara o ADN a um livro de instruções, neste caso para as células. As letras são os genes, sendo que os mecanismos de reparação do ADN funcionam como corretores ortográficos.

“A célula tenta corrigir o erro, substituir a letra por uma igual ou por outra que tenha significado, ou usar uma parte do restante texto que esteja correto”, ilustrou. Para Pedro Baptista, “conhecer estes mecanismos de reparação, e conhecer os processos que os desencadeiam, permite desenvolver novos alvos terapêuticos”.

A Real Academia Sueca das Ciências distinguiu hoje com o Prémio Nobel da Química os investigadores Thomas Lindalh, Paul Modrich e Aziz Sancar pelos estudos dos mecanismos que permitem a reparação de ADN. Os três investigadores, de acordo com o Comité Nobel, conseguiram mapear, a nível molecular, a forma como reparar as células danificadas, permitindo também salvaguardar a informação genética.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Natureza

Naturalmente

Ricardo Mendes Ribeiro

A natureza é resiliente, capaz de adaptar-se às asneiras que fazemos. O que não muda são as suas leis. Por isso, as tentativas de redefinir o ser humano mais tarde ou mais cedo chocam com a realidade

Finanças Públicas

Como evitar um 4º resgate? /premium

Paulo Trigo Pereira

Portugal necessita de mais doze anos (três legislaturas completas) de crescimento económico e de finanças públicas quase equilibradas para sair da zona de risco financeiro em que ainda se encontra.

Brexit

Boris Johnson /premium

João Marques de Almeida

Em Londres, só um louco ou um suicida é que defenderiam o acordo assinado com a União Europeia. Resta saber se os líderes europeus terão a lucidez de reconhecer o evidente: o acordo que existe morreu.

Ambiente

A onda verde na UE e os nacionalismos

Inês Pina

Se hoje reduzíssemos as emissões de CO2 a zero já não impedíamos a subida de dois graus centígrados. E estes “míseros” dois graus vão conduzir ao fim das calotas polares e à subida do nível do mar.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)