“Viagem a Marte” é o nome do relatório divulgado esta sexta-feira pela NASA, que dá a conhecer os próximos objetivos da agência espacial: ter humanos a viver e trabalhar em Marte até ao final da década de 2030.

A NASA planeia instalar colónias independentes da Terra, onde os humanos possam “trabalhar, aprender, operacionalizar e viver de forma sustentada” durante “extensos períodos de tempo”, anuncia a agência no relatório divulgado.

Se o plano da NASA se concretizar, Marte viverá três fases, que a agência denomina como “dependente da Terra”, “local de testes” e “independente da Terra”.

Para tal, a agência preocupa-se de momento com a criação de condições propícias aos humanos no planeta. Isto porque, atualmente, o tempo em que o homem pode viver no espaço é limitado, devido ao receio que a radiação cause doenças como o cancro, ou que os astronautas regressem com problemas como infertilidade, demência ou problemas ópticos, segundo explica o Telegraph.

As primeiras missões da NASA estão previstas para uma área do espaço à volta da Lua, e o seu sucesso ou insucesso ditará a expansão das missões para locais mais longínquos, como Marte.

Os planos da NASA ainda serão discutidos com membros do congresso americano, com o diretor comercial da agência e com os parceiros internacionais da NASA. Caso se materializem, podem ser mais um grande passo na história da humanidade.