A queda do avião russo no Egito terá sido causada por uma bomba, disse o porta-voz do primeiro-ministro do Reino Unido. Os Estados Unidos vêm agora defender a mesma tese mas atribuem um culpado: o Estado Islâmico. São os serviços secretos do país que consideram que o acidente do voo 9268 foi causado por uma “bomba colocada no avião pelo ISIS ou por um afiliado do ISIS”, refere a CNN. 

Já ao início da tarde, um porta-voz do primeiro-ministro inglês David Cameron defendia que na origem da queda no passado sábado estava um engenho explosivo. “Com a informação que tem chegado, estamos cada vez mais preocupados que o avião tenha caído por causa de um engenho explosivo”, dizia.

Como precaução, as autoridades britânicas decidiram atrasar os voos desta quarta-feira com destino a Sharm el-Sheikh, no Egito, enquanto as equipas testam a segurança no aeroporto de Sharm el-Sheikh, esclareceu o mesmo porta-voz. A Irlanda também optou por suspender todos os voos de e para Sharm el-Sheikh até novas conclusões, de acordo com um documento da Autoridade de Aviação irlandesa, informa a CNN. 

O avião russo despenhou-se no Sinai, Egito, provocando a morte de 224 pessoas. O acidente do voo 9268 é já considerado um dos piores desastres da história da aviação russa.