Futebol

FC Porto: “Não está a ser fácil este início do ano”

"Ontem à noite um amargo empate a um golo com o Rio Ave, com uma primeira parte boa e uma segunda de muito volume, mas pouco esclarecimento", avalia o clube na sua newsletter diária.

O Futebol Clube do Porto empatou com o Rio Ave

JOSÉ COELHO/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O Futebol Clube do Porto admitiu esta quinta-feira que “não está a ser fácil” o início do ano, um dia depois do “amargo empate” com o Rio Ave, que deixou os ‘dragões’ mais longe o Sporting, líder da I liga de futebol.

Com o empate 1-1 frente ao Rio Ave, quarta-feira no Dragão, em jogo da 16.ª jornada, o FC Porto, que tinha acabado 2015 na liderança isolada do campeonato, está agora a quatro pontos do líder – o Sporting, que foi a Setúbal golear por 6-0, depois de ter ganhado aos portistas por 2-0 na ronda anterior.

“Não está a ser fácil este início do ano para o FC Porto. Ontem à noite [quarta-feira] um amargo empate a um golo com o Rio Ave, com uma primeira parte boa e uma segunda de muito volume, mas pouco esclarecimento”, avalia o clube na sua newsletter diária.

Numa altura em que aumenta a contestação ao treinador espanhol Julen Lopetegui, o FC Porto reconhece que a equipa “se deixou apoderar pela ansiedade, o que no futebol é quase sempre fatal”.

“Domingo, há jogo no Bessa [frente ao Boavista], a equipa treina hoje e tem estes dias para esfriar ideias, recompor-se destes momentos amargos e levantar-se para ir à luta”, conclui o clube, na comunicação na newsletter.

Na quarta-feira, o jogo até parecia bem encaminhado para os ‘dragões’, quando, aos 22 minutos, o mexicano Herrera inaugurou o marcador, mas os vila-condenses reagiram e igualaram ainda na primeira parte, por João Novais, aos 33.

Depois da recente derrota em casa do Sporting, o FC Porto voltou a ceder terreno, tendo sido alcançado no segundo lugar pelo Benfica, que também goleou por 6-0 na receção ao Marítimo e ficou a quatro pontos dos ‘leões’.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)