A Google celebra esta quarta-feira, através do habitual Doodle, a astrónoma Beatrice Tinsley, que faria 75 anos se fosse viva. Na página principal do motor de busca, a investigadora é representada a observar os astros através de um telescópio.

Nascida em Chester, em Inglaterra, a 27 de janeiro de 1941, Beatrice era a segunda de três irmãs, tendo emigrado para a Nova Zelândia juntamente com a família depois da Segunda Guerra Mundial. Aí estudou e casou com Brian Tinsley até que, em 1963, o casal se mudou para Dallas, no Texas.

Em 1974, Beatrice decidiu emancipar-se: divorciou-se do marido e abandonou a vida doméstica preenchida pelos dois filhos adotados para se dedicar à carreira. Tornou-se professora assistente na Universidade de Yale, onde permaneceu até à sua morte em 1981, com apenas 40 anos, vítima de cancro.

Beatrice_Tinsley

Beatrice Tinsley foi assistente na Universidade de Yale

No entanto, e como aponta o jornal inglês Independent, o começo da carreira não foi fácil, precisamente por ser uma mulher casada. Apesar de lhe ter sido oferecida uma bolsa no Centro de Estudos Avançados do Texas, foi excluída do trabalho permanente. Já na Nova Zelândia, quando casou com Brian, seu colega na Universidade de Christchurch, Beatrice não conseguiu arranjar emprego na instituição porque o seu marido tinha sido funcionário na mesma universidade.

Apesar das dificuldades, a cientista seguiu com as investigações, tendo contribuído para desbloquear o passado e o futuro do universo. Beatrice percebeu que, como as galáxias são compostas por milhares de milhões de estrelas, era possível utilizar aquilo que já se sabia sobre a vida das estrelas para calcular qual seria a evolução das diferentes galáxias. Descobrindo como é que cada galáxia tinha formado as suas estrelas, Beatrice previa como ela evoluiria ao longo do tempo. A partir daqui, Tinsley calculou até modelos para diferentes tipos de galáxias. Pequeno detalhe: tudo isto foi feito num tempo em que os computadores não conseguiam executar algoritmos.

A pesquisa de Tinsley foi também um instrumento importante para alterar o método tradicional com que se determinava a distância até galáxias longínquas. Isto influenciou ainda o cálculo para se chegar ao tamanho real do Universo e a sua taxa de crescimento, explica o Independent. Tudo isto determinou a formação das principais teorias que estão por detrás da origem do Universo, o chamado Big Bang.