11h30 da manhã. Ao balcão d’O Buraquinho, taberna aberta desde 1927 na Praça dos Poveiros, no Porto, já estão sentados três senhores entre os 50 e os 60 anos, com um pequeno copo de vinho à frente. Pelo meio-dia saem e entra outro senhor, à procura das famosas papas de sarrabulho da casa e do homem que até há bem pouco tempo as fazia. “Onde está o senhor Artur?”. Artur Sousa é filho do fundador deste espaço. Dizer que viveu n’O Buraquinho não é exagero. Quando nasceu, os pais construíram um buraco dentro d’O Buraquinho, ao lado do balcão, para que ele pudesse dormir e brincar. Cresceu e passou para trás do balcão, onde durante décadas serviu os clientes com gosto. Chegada a idade da reforma, não conseguiu passar o legado aos filhos. Esta podia ser mais uma história de uma taberna centenária a fechar as portas. Não é, graças a Sérgio Costa e Marta Quitério.

Sérgio esteve seis anos no bar V5, na Rua dos Mártires da Liberdade, mas já há algum tempo que queria ter o seu próprio negócio. O senhor Artur fez a passagem oficial no dia 20 de novembro mas, até ao final do ano, foi todos os dias a’O Buraquinho para ensinar os seus segredos gastronómicos aos novos proprietários. “Foi uma jóia de pessoa”, agradece Sérgio. “Aprendi a fazer as papas de sarrabulho, que caldos se aproveitam para a cozedura, esse tipo de coisas. Há uma clientela tão fiel e histórica que decidimos manter o legado. Achamos que o que está bem não se deve mudar”. Jura que 90% dos clientes concordam que o sabor se mantém.

Quem agora descer até ao Buraquinho encontra novos petiscos para além da carne de porco, “para tentar abranger uma clientela mais vasta, jovem”, explica Sérgio Costa. Moelas, pataniscas, salada de bacalhau com grão e salada de atum com feijão frade contam-se entre as novidades. Até há uma opção vegetariana, os peixinhos da horta, a juntar ao já tradicional caldo verde. O horário também foi alargado para captar os muitos noctívagos.

O buraquinho

A salada de atum com feijão frade é uma das novidades do menu. ©Divulgação

As novidades não puseram de lado os pratos mais pesados que sempre fizeram parte do menu. Continuam, claro, os rojões, tripas, morcela, bucho, orelheira e o chispe. Aos domingos há rancho. Diariamente, o que nunca pode faltar são as papas de sarrabulho, que deram fama ao espaço. Há pratinhos a partir do 1,50€. Existem também três porções de combinados, o pequeno (2,50€), médio (5,50€) e o grande (10€), para quem quer provar diferentes petiscos de porco. Para acompanhar é aconselhável o vinho rosé de Mêda, bem fresco. Há sempre um doce do dia, entre brigadeiro, torta de laranja e pudim, para além do queijo e da marmelada, presenças tão fieis quanto os senhores que se sentam ao balcão a partir das 11h00 a beber o primeiro copo do dia.

Durante duas a três semanas houve obras de remodelação do espaço. Antes predominava o azulejo, agora é a madeira escura. Os espelhos mantêm-se, para ajudar a tornar O Buraquinho mais claro e amplo. Na cozinha subsistem alguns cachos de uvas, que transitaram da considerável coleção de fruta de plástico que o senhor Artur ostentava com orgulho. Quando viu o nov’ O Buraquinho, o anterior proprietário não foi velho do Restelo. “O senhor Artur é uma pessoa muito aberta e adorou. Achou que era um salto para o século XXI, em termos visuais, práticos e higiénicos”.

o buraquinho antigo

Antes de novembro, quem descia as escadas para entrar n’O Buraquinho deparava-se com uma casa em azulejo e bem menos lugares sentados. (foto: facebook.com/oburaquinho)

Seria fácil para Sérgio Costa dizer que todas as mudanças feitas n’O Buraquinho para atrair os novos públicos que passam pela Praça dos Poveiros — já apelidada de “Praça da Alimentação” devido aos inúmeros restaurantes e tabernas que ali se têm instalado — não afastaram a velha clientela, maioritariamente constituída por homens acima dos 40 anos. Eles continuam lá, no sítio onde sempre estiveram, a beber, a conversar e a petiscar. O Buraquinho agora é de todos. Longa vida a’O Buraquinho.

Nome: O Buraquinho
Morada: Praça dos Poveiros, 33 (junto ao Jardim de S. Lázaro)
Telefone: 22 201 1045
Site: www.facebook.com/oburaquinho
Horário: Terça a quinta das 11h00 às 22h30, sexta e sábado das 11h00 às 00h00 e ddomingo das 12h30 às 22h30. Encerra à segunda-feira