Longe vão os tempos em que, no universo dos computadores, os Mac eram considerados os mais seguros. Aliás, os mais céticos em relação à segurança dos computadores da Apple têm agora um novo argumento a seu favor: foi detetado o primeiro vírus do tipo ransomware para estes dispositivos.

Não faz a mínima ideia do que estamos a falar? Então imagine que, por exemplo, tem um trabalho importante para fazer no computador. E qual não é o seu espanto quando, ao ligá-lo, percebe que o disco está bloqueado. Assim, sem mais nem menos. E mais: é-lhe pedido que pague uma quantia bem choruda para o desbloquear.

Isto aconteceu a vários utilizadores de Mac com a aplicação Transmission instalada (um aplicativo de download de ficheiros por torrent). Na semana passada foi lançada uma atualização que prometia várias melhorias ao programa. Mas esta terá sido infetada com código malicioso — o vírus “KeyRanger” — que foi descarregado e instalado nos computadores dos utilizadores.

Durante dois dias, o vírus permaneceu quietinho e escondido no seu canto. Porém, ao terceiro dia, desencadeou secretamente uma série de processos que resultaram na encriptação e bloqueio dos discos rígidos onde estavam instalados. Ou seja, os utilizadores ficaram sem acesso aos seus ficheiros e, para desencriptar o disco, o programa obrigava ao pagamento de uma taxa avultada. É assim o negócio dos hackers por detrás do “KeyRanger”: encriptam maliciosamente os discos dos utilizadores e, claro, cobram para os desencriptar.

Segundo o site 9to5Mac, este é o primeiro ransomware detetado em computadores fabricados pela Apple. A marca da maçã terá agido rapidamente para prevenir que a ameaça se espalhasse, impedindo novas instalações — embora isso não resolva o problema dos utilizadores já afetados. Além disso, a equipa por detrás da aplicação Transmission já lançou — e recomenda com urgência — uma nova atualização que deverá ser livre de vírus e promete remover o programa malicioso dos computadores infetados. Ainda assim, alguns especialistas recomendam que o sistema seja restaurado, refere o site The Verge.

Em fevereiro, os vírus do tipo ransomware foram notícia na imprensa internacional, escreve o mesmo site. A administração de um hospital de Las Vegas (EUA) ter-se-á visto obrigada a pagar 17 mil dólares (cerca de 15.500 euros) a uma entidade desconhecida para voltar a ter acesso aos seus sistemas informáticos. O pagamento teve de ser feito em bitcoins, a conhecida moeda virtual cujas transações podem ser anónimas.

Este tipo de vírus é comum em computadores Windows. Em Portugal, um dos mais conhecidos operou em 2012 sob o nome Ukash. O programa bloqueava o computador dos utilizadores, acusando-os de terem acedido a conteúdos ilegais e simulando uma página com os logótipos da PSP e do Governo de Portugal. Na mesma página havia também um formulário que obrigava ao pagamento de “uma multa” de 100 euros, ameaçando com uma longa pena de prisão. Na altura, a PSP chegou mesmo a publicar um comunicado dando conta da burla e recomendando a que não se faça qualquer pagamento aos burlões.

Editado por Filomena Martins.