As mulheres costumam dizer que os homens não menstruam nem passam pelas dores do parto, e que portanto é fácil ser do sexo masculino. Há as que consideram esta diferença injusta e há as que guardam uma réstia de esperança de que um dia sejam eles a dar à luz, talvez graças ao filme de 1994, Júnior, em que o protagonista interpretado por Arnold Schwarzenegger engravida. Seja como for, nenhuma pensa que o homem grávido existe e também sofre. Ele anda à nossa volta, na rua, no trabalho, no supermercado, e toda a gente conhece pelo menos um.

É um facto que não vai nascer dali nenhuma criança ao fim de nove meses, mas também é um facto que um homem grávido pode estar grávido até ao fim dos seus dias. A “gravidez” nos homens é uma condição sem termo. Segundo um estudo americano recente, ter muita gordura na zona da barriga pode ser mais prejudicial à saúde do que ter excesso de peso.

A investigação que se debruçou sobre dados de mais de 15.000 pessoas descobriu que os homens que têm um peso normal e barrigas proeminentes têm um recorde de sobrevivência pior do que os participantes com peso a mais.

Como se isto não fosse suficiente, também há sintomas. O The Telegraph fez uma lista de cinco para que tire as suas dúvidas e saiba de uma vez por todas se é ou não um homem grávido — curiosamente, esses sintomas, dos quais destacamos quatro, são iguais aos das mulheres grávidas, sem a parte das contrações, claro.

1. Sensação de cansaço

Irritabilidade, fadiga e letargia. Todas as grávidas sofrem destes males e todos os pais lidam nove meses com estes sintomas. Contudo, de acordo com um estudo da Penn State College of Medicine, o excesso de peso também pode contribuir para a alteração de humor e sonolência ao longo do dia.

Julio Fernandez-Mendonza, autor do estudo, diz que a razão principal pela qual as pessoas obesas se sentem extremamente cansadas é porque as células adiposas da zona abdominal, principalmente, produzem citocinas que provocam sonolência.

2. Problemas de bexiga

As grávidas estão sempre na casa de banho e, em caso de fila, têm prioridade. É certo que a casa de banho dos homens não é tão concorrida mas, no caso de alguma ser, saiba que os homens grávidos também têm prioridade e que a barriga saliente num homem devia ter o mesmo efeito que a da mulher no que toca à prioridade. Tal como a gravidez, a gordura exerce pressão na bexiga, afetando a capacidade de segurar a urina.

Na verdade, segundo vários estudos, as pessoas obesas sofrem mais do que as grávidas, isto porque o excesso de peso afeta a condução dos estímulos nervosos.

3. Estrias

Para quem tem a sorte de não as ter, as estrias são linhas na pele produzidas pela distensão exagerada da derme que afeta, essencialmente, a barriga e as coxas. Aparece quando alguém ganha bastante peso num curto espaço de tempo. Cura? Não há. O segredo é prevenir com quilos de creme gordo várias vezes ao dia. É assim para as mulheres grávidas e é assim para os homens grávidos – é uma verdade universal, portanto.

4. Dores nas costas

Carregar a gordura de uma barriga pode ser tão cansativo como carregar um bebé. Andar com este peso durante anos pode ter efeitos nocivos nas articulações, nas cartilagens e nos ossos, podendo vir a desencadear doenças como artrite. Obrigar a coluna a carregar um peso excessivo pode danificá-la e comprometer a sua estrutura. As mulheres queixam-se de dores ao longo de 37 a 42 semanas, os homens queixam-se ao longo de 37 a 42 anos.

Mas as parecenças não se ficam por aqui. Os homens grávidos também têm desejos de comida, também deixam de caber nas roupas de que tanto gostavam, restando-lhes vasculhar os tamanhos grandes das lojas, têm dificuldades em dormir e por vezes têm de fazer um esforço hercúleo só para se levantarem de uma cadeira.

Por isso, senhoras, há homens que sabem o que é estar grávido. A desvantagem é que eles não estão a gerar uma vida mas a comprometer a sua saúde, o que não deixa de fazer com que alguns exibam com orgulho as suas barrigas, geralmente com uma carícia e a desculpa de que ali “está muito investimento”.