PS

Quem puser em causa Governo “vai pagar preço muito alto”, diz Manuel Alegre

2.295

Manuel Alegre, histórico do PS, afirma que tanto PCP como Bloco de Esquerda "vão pagar preço muito alto" caso desestabilizem Governo de Costa.

LUSA

Autor
  • Catarina Falcão

Manuel Alegre considera que tanto Bloco de Esquerda como PCP estão empenhados na solução do Governo à esquerda e que o partido neste entendimento que tentar desestabilizar o executivo de António Costa “vai pagar um preço muito alto”. Para o histórico socialista, o atual primeiro-ministro não é um esquerdista, nem nunca se posicionou no PS como tal. É, sim, um homem de centro-esquerda.

O poeta e histórico socialista disse em entrevista à revista Weekend, parte do Jornal de Negócios, que António Costa “percebeu, a partir da Grécia, que é muito difícil um país sozinho enfrentar o poder estabelecido sem sair da Europa” e, por isso, “tentou fazer diferente sem mudar as regras”. Se isso vai resultar em mudanças ou mais flexibilidade para Portugal, Manuel Alegre tem “dúvidas”.

Na solução de Governo, com apoio parlamentar à esquerda, o socialista vê “empenho” ou, pelo menos, vontade de impedir que “a direita ultraliberal volte ao poder”. “Quem puser em causa esta solução vai pagar um preço muito alto”, garante Manuel Alegre sobre o compromisso assumido pelo PCP e pelo Bloco de Esquerda. Nos últimos quatro anos, Alegre afirma que a esquerda “ficou de consciência pesada” já que todos tiveram responsabilidades na queda do Governo de Sócrates e consequente subida ao poder da direita.

Sobre António Costa, Alegre referiu que ele não é um esquerdista e que o acordo mudou o interior do PS. “Nunca esteve na chamada ala esquerda nos combates que se travaram no interior do PS, embora venha de uma família de esquerda. É um homem de centro-esquerda”, afirmou o socialista.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Política

A direita em crise?

Luiz Cabral de Moncada

A perda de terreno eleitoral pela direita só significa que a esquerda assimilou o que aquela de melhor tem, o liberalismo económico e social. Está em crise? Não, já ganhou no terreno das ideias.

Política

Eleições à vista

José Couceiro da Costa

Hoje, com a velocidade da informação, o que releva são as causas, tão voláteis como as opiniões da sociedade civil. O modus operandi da política do séc. XX está morto. A ordem natural está invertida.

Jovens

É desta que fazemos valer a nossa geração?

Teresa Cunha Pinto

Esta geração vive com a barriga cheia de uma grande ilusão. De que é a geração mais informada, mais qualificada, mais viajada. É pura ilusão porque em nada se concretiza e materializa. 

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)