“De pequenino se torce o pepino” diz o adágio que aqui aplicamos a propósito dos níveis de literacia financeira revelados pelos mais jovens. Cada vez mais cedo é necessário aprender a gerir o dinheiro. Seja uma mesada ou uma semanada, é essencial aprender e ensinar o valor do dinheiro, estimulando hábitos de poupança por objetivos, mesmo que se trate de pequenos montantes.

A Matilde acabou de fazer 18 anos e está a preparar-se para entrar na faculdade. Apaixonada por Belas Artes, sempre teve muito jeito para criar objetos decorativos e começou a pintar quando tinha apenas nove anos. Agora que está prestes a sair de casa dos pais para começar a construir a sua independência, depara-se com a necessidade de ter uma conta bancária e iniciar uma relação com uma instituição bancária.

Esta estudante finalista do ensino secundário sabe muito pouco acerca do funcionamento dos bancos e, para ela, a terminologia financeira usada na publicidade e nas agências é um autêntico enigma.

Sem precisar de se tornar especialista em assuntos financeiros, a Matilde encontrou no Banco CTT o parceiro ideal que lhe oferece uma conta simples e sem custos. Não paga comissão de manutenção, anuidade do cartão de débito nem comissão pelas transferências nacionais realizadas nos canais digitais. E quando a Matilde conseguir o seu primeiro emprego, esta conta dá-lhe ainda a possibilidade de acesso a um descoberto autorizado até 100% do valor do vencimento domiciliado. Trata-se da conta “Banco CTT” que pode ser aberta com apenas 100€ e dá acesso a um vasto conjunto de serviços dirigidos a todos clientes, quer prefiram ir a uma loja para fazer os seus depósitos, quer optem por gerir a sua vida financeira através da App Banco CTT, numa aposta clara na conveniência.

Para a Leonor, a irmã mais nova da Matilde que ainda só tem 14 anos, o Banco CTT também tem respostas simples e eficazes. A “Conta Júnior 0-17” foi desenvolvida a pensar nos jovens até aos 17 anos que estão a dar os primeiros passos na sua vida financeira. Uma conta sem custos de manutenção, com um montante mínimo de abertura de apenas 25 euros. Em breve a Leonor também vai poder usar um cartão de débito, associado a esta conta pensada para que os mais jovens aprendam a gerir o seu dinheiro, com responsabilidade e autonomia, além da segurança garantida pelos meios de pagamento eletrónico.

É sabido que os maiores bancos nacionais cobram, em média, um valor superior a cinco euros por mês aos clientes apenas pela manutenção da conta. Esta despesa pode, no entanto, ser reduzida se forem cumpridas algumas condições, que são variáveis nos diferentes casos. O Banco CTT não cobra encargos aos seus clientes nas operações bancárias mais básicas, como é o caso da comissão de manutenção, e ainda oferece a anuidade do cartão de débito. Esta despesa pode mesmo ultrapassar os 18 euros por ano em alguns bancos, incluindo os que desenvolvem a atividade maioritariamente nos canais digitais.

As transferências bancárias nacionais também são gratuitas, desde que sejam efetuadas através dos canais digitais. A conta “Banco CTT” permite ainda ao cliente a possibilidade de aceder a um limite de descoberto (isto é, ultrapassar o saldo da conta) que é calculado em função do valor do vencimento ou pensão domiciliados no banco.

Resultado da evolução dos serviços financeiros prestados pelos CTT, instituição com quase cinco séculos de história e experiência, o Banco CTT apresenta uma oferta simples e inovadora, numa lógica de baixo custo. Outro dos pontos fortes é a oferta transversal a toda a população, já disponível em mais de 50 pontos localizados nas Lojas CTT, prevendo-se que este número ultrapasse os 200 em todo o país até ao fim deste ano.

Apostando na proximidade com os seus clientes o banco está sempre acessível através do canal digital, recorrendo a soluções de última geração que proporcionam uma interação simples e intuitiva. Face à concorrência crescente no setor bancário, as principais vantagens competitivas do Banco CTT são materializadas na acessibilidade, na simplicidade da oferta e numa política de preço justo.