O partido Podemos, liderado por Pablo Iglesias, fechou um acordo pré-eleitoral com o Esquerda Unida e com o líder desse partido, Alberto Garzón, que recentemente foi acusado por Iglesias de ser um “triste rabugento” e ter uma personalidade “aborrecida”. Os dois líderes partidários terão, contudo, superado as divergências e celebraram o acordo com um par de cervejas — um momento que foi registado pelo El Mundo e que já está a criar polémica.

O acordo entre o Podemos e o partido Esquerda Unida pode ter grandes implicações para o resultado das eleições marcadas para 26 de junho, porque cria um sério risco de os socialistas do PSOE, liderados por Pedro Sánchez, se tornarem a terceira força política mais votada (depois do PP e ultrapassados pelo Podemos-Esquerda Unida).

Pablo Iglesias chamou a este um “acordo histórico” e afirmou que o objetivo de ambos é “recuperar o país”. A imagem de um abraço nas Portas del Sol, em Madrid, local onde houve manifestações anti-austeridade, serviu de pano de fundo num vídeo colocado nas redes sociais.

Os líderes dos dois partidos anunciaram o acordo na noite de segunda-feira, sem prejuízo de o pacto ainda ser submetido a referendo aos membros do partido nas próximas semanas. Mas não há dúvidas de que o pacto será aprovado, pelo que Pablo Iglesias e Alberto Gárzon foram celebrar o acordo com um par de cervejas — a imagem que faz a capa do El Mundo desta manhã.

Estarão ultrapassadas as quezílias que opunham os líderes dos dois partidos esquerdistas. Como lembra o El Español, “hoje abraçam-se, mas nem sempre foi assim”: Iglesias e Gárzon olhavam-se com ódio e desconfiança. Numa entrevista em junho, Iglesias disse que Gárzon era o “típico esquerdista triste, aborrecido, azedo”.

“Não se pode mudar nada. Aqui [em Espanha] as pessoas são imbecis e vão votar no Ciudadanos. Portanto prefiro estar com os meus 5%, a minha bandeira vermelha e o meu não sei o quê. Parece-se super respeitável, mas a mim deixa-me em paz. Nós não queremos fazer isso. Queremos ganhar. Preocupa-te com outra coisa. Continua a viver no teu pessimismo existencial. Vocês dão má sorte”, dizia Iglesias, dirigindo-se a Gárzon, na entrevista ao espanhol Público.