As forças do governo de união nacional da Líbia anunciaram hoje a tomada do controlo da central térmica de Sirte, refúgio líbio do grupo extremista Estado Islâmico, situada a 450 km este da capital.

As forças do executivo líbio “controlam a totalidade do espaço da central térmica”, situada a cerca de 23km a oeste do centro da cidade de Sirte, segundo um comunicado do centro de informação das forças pró-governamentais.

A entrada na localidade de Wadi Jaref, no sudeste de Sirte, foi feita durante a tarde, tendo as forças leais ao governo sido recebidas com alegria e alívio pelos habitantes, acrescentou a mesma fonte.

“Os combates recomeçaram (hoje) no distrito de Sirte entre as nossas forças e as tropas do Daesh”, permitindo um avanço importante, indicou o centro de informação.

O comunicado acrescenta que dos confrontos resultaram “três mortos e 10 feridos” que foram recebidos no hospital de Misrata, a 150 km a oeste de Sirte.

Na terça-feira, dia 31 de maio, os guardas das instalações petroleiras, sob o comando do Ministério da Defesa, retiraram os jihadistas de duas cidades a este de Sirte.

O novo executivo líbio apoiado pelas Nações Unidas conseguiu em apenas dois meses afirmar a sua autoridade num país minado pelas divisões e pela violência desde a queda de Muammar Kadhafi, em 2011.

As forças armadas do governo de união nacional da Líbia e do executivo rival que tem base no este do país, leais ao general Khalifa Hafter, estão atualmente envolvidas numa corrida para serem os primeiros a retirar o grupo extremista Estado Islâmico de Sirte, sendo que a ameaça dos jihadistas está a aumentar desde a sua implantação na Líbia no final de 2014.