Fiat

Topolino. O ratinho da Fiat faz 80 anos

Criado em 1936, aquele que foi um dos símbolos da democratização do automóvel no pós-Segunda Grande Guerra está prestes a comemorar o 80.º aniversário. A Fiat promete celebrar.

Autor
  • Francisco António

Chamava-se Fiat 500, mas era conhecido como Topolino e foi um dos modelos que, não só em Itália, mas também um pouco por toda a Europa, veio permitir a um maior número de famílias disfrutarem das alegrias de um automóvel.

Desenvolvido pelo engenheiro italiano Dante Giacosa e produzido na antiga fábrica da Fiat de Lingotto, o Topolino (ratinho, em italiano) era, como o próprio nome sugere, um veículo de dimensões reduzidas e preço a condizer, equipado com um motor de quatro cilindros de apenas 569 cc e 13 cv de potência, cuja velocidade máxima não ultrapassava os 85 km/h.

Não se limitando a ser o primeiro automóvel de baixo preço (8.900 liras) lançado pela Fiat após o final da guerra, o Topolino introduziu uma série de inovações mecânicas, como o radiador instalado na parte de trás do motor, para permitir uma melhor visibilidade, ou a suspensão traseira de molas elípticas. Três modelos foram produzidos até 1955 e vendidas perto de 520 mil unidades.

A comemorar 80 anos sobre a sua criação, a Fiat Chrysler Automobiles prepara-se para assinalar devidamente a data, entre 16 e 19 de Junho, com um passeio de mais de 200 Topolino. A partida ocorre na antiga fábrica de Lingotto e o percurso contempla os locais mais emblemáticos de Turim.

Recomendador: descubra o seu carro ideal

Não percebe nada de carros, ou quer alargar os horizontes? Com uma mão-cheia de perguntas simples, ajudamo-lo a encontrar o seu carro novo ideal.

Recomendador: descubra o seu carro idealExperimentar agora
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Eleições Espanha 2015

Nem tudo vale na política

Dantas Rodrigues

Oportunismos como o da candidatura de Manuel Valls em Barcelona é que degradam a imagem da política e alimentam a propagação de partidos populistas sejam eles de extrema-direita ou de extrema-esquerda

Igreja Católica

Tríptico europeu /premium

P. Gonçalo Portocarrero de Almada

A Europa do terceiro milénio, perdida a sua identidade cristã, que era a razão de ser da sua unidade e grandeza, é um continente à deriva.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)