“A Miúda da Banda”
Kim Gordon
(Bertrand)

Kim Gordon, a ex-baixista dos Sonic Youth, escreveu um livro que devia fazer parte de um qualquer plano de leitura. É a memória de uma vida, a do rock’n’roll, da família e de uma mulher contra o mundo. Além disso, basta a capa para fazer sucesso na praia, se for esse o caso (e naturalmente que não há mal nenhum nisso).

“Os Vampiros”
Filipe Melo e Juan Cavia
(Tinta da China)

Esta é uma história da Guerra Colonial, baseada em pesquisas e relatos de quem lá esteve mas com personagens de ficção pelo meio. O texto é de Filipe Melo, os desenhos são de Juan Cavia. A dupla de “Dog Mendonça” regressa às coisas da BD com um título muito diferente: denso, negro e psicológico, tão intenso como obrigatório.

“Chega de Saudade”
Ruy Castro
(Tinta da China)

Nada disto é novo, nem o livro nem a história que conta. É coisa com mais de 60 anos mas não há quem passe os ouvidos pela bossa nova e não acredite que aquelas canções acabaram de nascer, neste verão, numa qualquer praia carioca. Finalmente editado em Portugal, “Chega de Saudade” é o clássico dos clássicos nesta missão de recordar de onde vem o swing de Ipanema.

“M Train”
Patti Smith
(Quetzal)

Depois de “Apenas Miúdos”, Patti Smith regressa à prosa, à narrativa de memórias e histórias que a própria viveu. Como o anterior, este não é um livro sobre música, muito longe disso. É a vida da artista em episódios, sobretudo os que viveu com o marido, Fred “Sonic” Smith, guitarrista dos MC5 que morreu em 1994. Uma confissão íntima e apaixonada.

4 fotos