Quando temos 20 anos, as olheiras são sinal de que somos cool — passámos a noite na borga e a ressaca não se sente só no estômago. Mas a partir dos 30 as olheiras são — tentando dizê-lo de uma forma simpática — uma marca da idade. E dificilmente nos conseguimos livrar delas. Podem tornar-se mais nítidas em noites mal dormidas ou em períodos de muito trabalho mas também podemos culpar a genética, a hiperpigmentação, o “tic tac” do relógio, a acumulação de líquidos (os papos) pelo simples facto de estarmos deitados na cama… Dormir deixou de ser uma bênção.

Apesar de uma lista enorme de causas possíveis para as olheiras, podemos tratar melhor delas se prestarmos atenção à sua cor ou ao que comemos, por exemplo. Não vamos falar do color correcting e da forma como pode camuflar os papos roxos e azulados com tons alaranjados, mas reunimos algumas informações que vão ajudar a compreender melhor os círculos escuros debaixo dos olhos.

1. As cores das olheiras

As cores estão relacionadas com as suas causas. Mona Gohara, professora de dermatologia na Universidade Yale, explicou à revista Teen Vogue que, normalmente, as olheiras azuladas são o resultado dos vasos sanguíneos dilatados (cansaço, falta de sono ou acumulação de líquidos debaixo dos olhos por estarmos tanto tempo deitados enquanto dormimos), enquanto as olheiras acastanhadas estão relacionadas com a superprodução de melanina — genética, exposição ao sol ou até o ato de esfregar os olhos constantemente.

Mas o nosso próprio tom de pele também vai influenciar a cor das olheiras. As peles mais pálidas vão fazer com que as veias pareçam azuladas ou arroxeadas enquanto as pessoas com pele morena têm veias de uma tonalidade mais perto do verde ou do castanho. Gohara diz que é fácil perceber quando as olheiras são de cansaço ou já são uma marca fixa da pele: olheiras de cansaço acumulam-se especialmente debaixo dos olhos enquanto as olheiras relacionadas com a produção excessiva de melanina tendem a acumular-se ao redor de todo o olho.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

2. A alimentação ou as alergias

Os especialistas defendem que as olheiras também podem estar relacionadas com inflamações derivadas de uma alimentação pobre em frutas e legumes. A fundação LiveStrong fala de uma “dieta anti-inflamatória” que pode reduzir as olheiras através de alimentos que fortalecem o corpo com antioxidantes. Esta dieta também evita os alimentos processados e os fritos. Além da alimentação, as alergias também potenciam as olheiras porque as histaminas libertadas pelo sistema imunológico podem causar inchaço sob os olhos. A piorar, a constante inflamação dos olhos leva ao ato de esfregar que, por si só, torna as olheiras mais marcadas.

3. Os produtos caseiros

Isto não são ideias parvas ou mezinhas caseiras que, numa altura em que a indústria da cosmética está a todo o vapor, se tornaram irrelevantes. As bolsas de chá geladas, as rodelas de pepino, as fatias de batatas, óleo de coco… Há uma lista enorme de dicas caseiras que aliviam as olheiras porque ativam a circulação, melhoram a hidratação da pele e reduzem a inflamação e os inchaços de manhã. E se funcionam, porque os devemos ignorar?

4. O desmaquilhante de olhos

Não é só para evitar ardor nos olhos que se deve usar desmaquilhantes próprios para olhos. Se está constantemente a esfregar para conseguir retirar os restos de máscara de pestanas, está a causar danos capilares e a inflamar a pele, o que torna as olheiras mais vincadas. O ideal será usar desmaquilhantes de olhos ou, na sua falta, óleos de limpeza porque vão “derreter” a maquilhagem dos olhos com fricção mínima.

5. O protetor solar também é amigo das olheiras

Como explicámos neste artigo, a pele do contorno dos olhos é uma das que mais sofre com os nossos (maus) hábitos: dormir pouco, comer mal, não beber água para hidratar, fumar, apanhar sol… E porque a pele debaixo dos olhos é mais fina, isso significa que é mais propensa à hiperpigmentação (olá olheiras castanhas!). Se aplica protetor solar no rosto mas ignora a zona dos olhos, não está a proteger a pele que mais precisa dele. Já existem no mercado produtos solares próprios para a zona dos olhos, como Lancaster e Shiseido, que evitam irritações e inflamações.

6. Desidratação

A desidratação é uma das causas mais comuns das olheiras. Como a pele por baixo dos olhos é tão fina, fica relativamente próxima do osso subjacente. E quando o corpo não tem a quantidade adequada de água diária, os sintomas tornam-se bastante visíveis nesta zona e traduzem-se em olheiras. Além de todos os motivos por que deve beber muita água durante o dia, evitar o agravamento das olheiras é mais um. Os especialistas acrescentam que não se deve substituir o consumo de água por bebidas com cafeína, refrigerantes, álcool, porque vão desidratar ainda mais o corpo.