Um casal retido há uma semana numa ilha remota do Pacífico foi salvo depois de um avião que participava na sua busca ter avistado o “SOS” que desenharam na areia, anunciou este sábado a guarda-costeira dos Estados Unidos, conforme avança a agência francesa AFP.

O casal, que tinha mantimentos limitados e nenhum equipamento de emergência, foi encontrado na ilha desabitada East Fayu, na Micronésia, por uma unidade da marinha norte-americana numa praia próxima daquela onde escreveram a mensagem de socorro na areia, de acordo com um comunicado da guarda-costeira.

Um avião deslocou-se à zona para confirmar informações dadas por tripulantes de um barco que indicaram ter visto luz na ilha durante a noite.

“A operação de busca por Linus e Sabina Jack foi um sucesso”, declarou a embaixada dos Estados Unidos em Kolonia, na rede social Facebook. “Dado que a ilha era potencialmente desabitada e sabendo que [eles] tinham uma lanterna no barco, direcionámos a busca aérea para a ilha”.

O casal deixou a ilha de Weno, na Micronésia, no passado dia 17, a bordo de uma embarcação de cinco metros. O alerta foi dado no dia seguinte, dado que não chegaram à ilha de Tamatam como previsto.

A guarda-costeira norte-americana afirmou ter mobilizado 15 barcos e dois aviões durante esta semana de buscas, os quais cobriram uma área de 43 mil quilómetros quadrados.

O casal foi entretanto resgatado por um barco patrulha e levado para o atol de Nomwin.